Tênis: Meligeni bate compatriota Haddad e segue às quartas em Portugal

Próximo embate será amanhã (30) contra canadense Carol Zhao

Publicado em 29/04/2021 - 17:32 Por Agência Brasil - Rio de Janeiro

A paulistana Carol Meligeni Alves, de 25 anos, avançou às quartas de final do segundo torneio ITF W25 em Oeiras (Portugal), após surpreender nesta quinta-feira (29) a compatriota Bia Haddad, número um do país. Meligeni, 321ª colocada no ranking mundial venceu Haddad (242ª) por 2 sets a 0 (parciais de 7/5 e 6/3), em duas horas e  22 minutos de partida.

Amanhã (30), Meligeni volta à quadra de saibro contra a canadense Carol Zhao (421ª), que derrotou a bielorrussa Yuliya Hatouka (282ª). O horário da partida ainda será definido pelos organizadores.

"Nossos jogos são duros , uma guerra...Estou contente por ter conseguido passar por várias situações, altos e baixos e jogando em alto nível", disse Carol em depoimento a assessoria de imprensa. "A única vez que joguei contra ela, perdi. Mas eram condições totalmente diferentes [piso rápido]”, completou. 

Gabriela Cé of Brazil plays in her match against Laura Siegemund of Germany during the Qualifiers Fed Cup tie between Brazil and the Germany at the Costão do Santinho on February 08, 2020 in Florianópolis, Brazil
Gabriela Cé avançou às semifinais de duplas do ITF de Portugal, em parceria com a norueguesa Maiene Helgo. A dupla volta a quadra nesta sexta (30), às 10h Miriam Jeske/ Heusi Action/Direitos Reservados

Outra brasileira que avançou, nas duplas, foi a gaúcha Gabriela Cé, de 28 anos. Ao lado da norueguesa Maiene Helgo, a brasileira se classificou às semifinais em Oeiras, após vencer de virada as parceiras portuguesa Matilde Jorge e Ana Filipa Santos, por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/4 e 7/6 (7/5).  Gabriela e Maiene enfrentam amanhã (30), às 10h (horário de Brasília), a ucraniana Valeriya Strakhova e  Shaalimar Talbi, da Bielorrússia.

Após a derrota nas oitavas de final de simples, Haddad permanecerá em Portugal. O próximo desafio da alteta será o classificatório para o Torneio de Wimbledon (Inglaterra), o mais antigo do mundo. O Grand Slam, em piso de grama, será em julho. 

“Estou fora há 12 semanas, realmente estamos num mundo adaptado. Quando saí de casa era para jogar na África por duas semanas e estou fora até hoje. Foram aparecendo alguns torneios, outros cancelaram e a fronteira do Brasil está fechada, então a situação foi ficando mais complicada. E como tenho chance de entrar no qualifying de Roland Garros e mais torneios para jogar na Europa, fica impossível voltar e correr o risco de perder essas chances”, explicou a tenista.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias