Comandante promete resposta à morte de PMs no Rio

Publicado em 27/11/2014 - 17:46 Por Da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O comandante-geral da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, coronel Íbis Silva Pereira, disse hoje (27), no enterro do policial militar Anderson Senna Freire, de 34 anos, morto ontem (26) em serviço, que a corporação vai responder a esse tipo de crime e espera apresentar à Justiça os autores.

“A morte de policiais militares virou uma coisa banal e não é capaz de envergonhar a sociedade”, que está vivendo uma barbárie, afirmou o coronel.

Este ano, 102 PMs foram mortos no estado, dos quais 17 em serviço e 85 de folga. Senna foi enterrado com um pedido de "basta", escrito nas camisas usadas pelos colegas, formados na mesma turma da corporação. Ele foi assassinado na Avenida Brasil, próximo ao bairro de Guadalupe, zona norte da cidade. Lotado no 41º BPM, (Irajá), tinha dois filhos e estava na corporação há seis anos.

O policial Bruno de Morais, que estava em serviço junto com Senna, também foi baleado, continua internado e está estável, segundo a PM.

A Delegacia de Homicídios já tem uma pista dos envolvidos na morte de Senna, mas não pode revelar detalhes para não prejudicar as investigações. Segundo Íbis, "é preciso identificar essas pessoas, prendê-las e apresentá-las à Justiça”.

Para o comandante-geral da PM, a corporação tem que fazer operações baseadas no serviço de inteligência, com segurança nas ações e respaldada em informações precisas. Íbis disse que boa parte da sociedade quer uma polícia mais dura no enfrentamento da violência. De acordo com ele, a sociedade alimenta o discurso que aposta na guerra como estratégia para vencer o narcotráfico, mas existem formas mais inteligentes, mais racionais e mais democráticas de enfrentar questões como a das drogas, passando pela prevenção.

"Nós, brasileiros, temos apostado na guerra, e o resultado tem sido esses números alarmantes, assustadores e vergonhosos. Superar essa realidade é um desafio não só da polícia, mas um compromisso de toda a sociedade democrática. Não são números dignos de uma república. Polícia se faz, acima de tudo, com respeito pela dignidade humana. Eu não tenho dúvida de que vamos conseguir diminuir esses números, que hoje são números de barbárie. Agora, é preciso que a nossa sociedade se indigne com esses números", acrescentou.

Edição: Jorge Wamburg

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
A cúpula  maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.
Política

Câmara aprova MP amplia uso de assinatura eletrônica

Objetivo da MP é facilitar o uso de documento assinados digitalmente para ampliar o acesso a serviços públicos digitais. Texto segue para o Senado.

la bombonera, estádio do boca juniors
Esportes

Equipes do futebol argentino voltam a treinos presenciais

Após paralisação de cinco meses causada pela pandemia de coronavírus, 16 das 25 equipes da primeira divisão do país sul-americano retornaram às atividades presenciais.

Programa de Incentivo à Cabotagem, BR do Mar,
Geral

Programa de incentivo marítimo BR do Mar é entregue ao Congresso

O governo entregou hoje o projeto de lei BR do Mar - iniciativa que visa expandir o tráfego marítimo de mercadorias em todo o território nacional.

 

cruzeiro guarani
Esportes

Série B: Cruzeiro vence Guarani por 3 a 2 fora de casa

Segunda rodada também teve triunfos de Juventude, Paraná e Botafogo SP, além do empate entre Brasil de Pelotas e Ponte Preta.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Geral

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 12,5 milhões

A quina teve 16 acertadores e cada um vai receber R$ 81.484,20. Os 1.545 ganhadores da quadra receberão o prêmio individual de R$ 1.205,49.

 Esculturas de musas na fachada do prédio da sede do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, zona norte da cidade
Geral

Alerj autoriza repasse de verbas para obras no Museu Nacional

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro autorizou o repasse de verbas complementares para a reconstrução do Museu Nacional, destruído por um incêndio em 2018.