Manifestação pede liberação de novos remédios contra hepatite C

Publicado em 04/12/2014 - 16:29 Por Da Agência Brasil - Brasília

Manifestação em Brasília exibe bandeira de aproximadamente 250 metros, assinada por pessoas com hepatite C e solidários à causa (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Manifestação em Brasília exibe bandeira de 250 metros, assinada por pessoas com hepatite C, para apressar  liberação de três novos remédios que estão sendo analisados pela Anvisav Marcelo Camargo/Agência Brasil

Cerca de 50 pessoas se reuniram hoje (4) em frente ao prédio do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, para pressionar por rapidez na aprovação de três novos medicamentos usados no tratamento de hepatite C: sofosbuvir, simeprevir e daclatasvir.

Os remédios ainda estão sendo analisados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas deverão chegar ao Brasil por um preço inferior ao cobrado nos Estados Unidos e podem reduzir em até 60% por paciente o custo no tratamento da doença, segundo o presidente do Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite, Carlos Varaldo.

"Com essa diminuição no custo para cada pessoa cadastrada no SUS, vai ser possível que mais pessoas sejam tratadas pela rede pública com a mesma verba destinada hoje para esse fim. E isso sem falar dos benefícios no uso desses medicamentos, que têm efeitos colaterais muito menos agressivos e uma resposta mais concreta para a cura da hepatite C, chegando a 95% dos casos tratados", afirmou Varaldo,

O Ministério da Saúde informou que a aprovação definitiva para o uso no Sistema Único de Saúde (SUS), no entanto, dependerá da avaliação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) e da finalização do processo de registro pela Anvisa. Segundo o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Fábio Mesquita, a demora nesse processo é consequência da complexidade da legislação brasileira. "Ainda assim, solicitamos à Anvisa que dê prioridade ao registro desses medicamentos, porque se trata de um interesse estratégico para o SUS e para seus pacientes."

De acordo com o grupo de apoio ao portador de hepatite, os remédios usados hoje causam problemas colaterais graves à saúde do paciente, que pode, muitas vezes, ser obrigado a suspender o tratamento por causa dos riscos. Foi o que aconteceu com o advogado Nilton Perillo, que tem a doença e já passou pelo tratamento atual. "Eu mesmo tive anemia aguda pelo uso de Ribavirina. Sei de pessoas que tiveram que abandonar o tratamento, por recomendação médica, por causa da agressividade desses remédios", disse.

Até o fechamento da reportagem, a Anvisa não havia respondido à Agência Brasil sobre o assunto.


Fonte: Manifestação pede liberação de novos remédios contra hepatite C

Edição: Jorge Wamburg

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Profissional de saúde realiza teste para o novo coronavírus em Brasília
Saúde

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Desde o início da pandemia, 2.859.073 de brasileiros contraíram o novo coronavírus, 2.020.637 se recuperaram, 97.256 morreram e 741.180 estão em acompanhamento.

Washington Nunes, handebol, seleção
Esportes

Handebol: Confederação recontrata técnico demitido há um ano

Washington Nunes saiu da seleção masculina após terceiro lugar nos Jogos Pan-americanos de Lima, em 2019.

Justiça

Presidente do TST defende licença parental

Isso retira responsabilidade exclusiva da mãe pelo afastamento devido à maternidade e distribui dever do cuidado como uma forma de estímulo ao pai, diz Cristina Peduzzi.

exame coronavirus COVID-19
Saúde

Rio de Janeiro registra mais 140 óbitos por covid-19 em 24 horas

De acordo com a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro o estado registrou 172.679 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Entre eles, 153.966 pacientes se recuperaram.

Dólares - Moeda estrangeira
Economia

Dólar fecha em leve alta em dia de reunião do Copom

Cotação oscilou ao longo do dia, mas fechou próxima da estabilidade no aguardo da decisão do Banco Central. Bolsa subiu 1,57% com divulgação de resultados de empresas.

tainara
Esportes

Osasco anuncia Tainara, e Sesi Bauru confirma volta de Vanessa

Times apresentam as maiores movimentações antes da próxima temporada da superliga feminina de vôlei.