Pezão dá posse a secretários e diz que Rio não terá aumento na carga tributária

Publicado em 05/01/2015 - 15:16 Por Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O vice-governador do Rio, Francisco Dornelles, e o governador Luiz Fernando Pezão durante solenidade de posse do novo secretariado, no Palácio Guanabara (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

             O  governador  Luiz  Fernando  Pezão  empossa  secetariado,  garante  que  não  haverá  aumento  da

            carga tributária no Rio de Janeiro e pede união e dedicação aos mais pobresTânia Rêgo/Agência Brasil

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, afirmou hoje (5) que não haverá aumento da carga tributária no estado. “Não vou aumentar carga tributária ou criar imposto novo. Não vou criar nada. Se puder, diminuo. Acho que o país avançará no dia em que começar a discutir redução de carga tributária com o compromisso de recolher mais e empregar mais. Este é o nosso dever de casa. Ninguém suporta mais aumento de nada”, disse ele, ao empossar o secretariado no Palácio Guanabara.

“Quero vocês todos muito unidos. Não tem vaidade no governo. Quero todos jogando no mesmo time”, afirmou o governador.

Pezão proibiu que os órgãos estaduais gastem o que não estiver previsto nos orçamentos. “Este é o olhar que quero. Vamos nos dedicar ao custo como se fosse dentro da casa. Só gastar o que temos. Não tem cheque especial no governo do estado. Não tem pirotecnia”, destacou.

A orientação é colocar em dia projetos já definidos e em andamento, como a Linha 4 do Metrô, até a Barra da Tijuca, e a Linha 3, em parceria com o governo federal, para atender à população de Niterói e São Gonçalo, na região metropolitana. “Temos uma série de coisas em andamento. Não quero iniciar nada novo antes de entregar o que temos. Continuaremos investindo em segurança pública. Segurança é nosso mantra e nossa força. Sem segurança não há desenvolvimento econômico, assim como empresário que venha para o estado, professor que dê aulas em comunidades, ou médico que atenda nas clínicas de família.”

O governador pediu que os secretários estejam de olhos abertos para os mais de 16 milhões de cariocas e fluminenses, mas se dediquem especialmente aos mais pobres. “São aquelas pessoas que nunca chegarão ao palácio e nunca chegarão à porta da secretaria de vocês. Quero que andem e escutem. Eu sou assim. Quero que tenham este olhar e este cuidado, principalmente com as pessoas que precisam do governo”, destacou.

"Não se pode achar normal uma pessoa ficar 35 dias sem água ou pegar um trem de 50 anos e ficar no meio do caminho, andando pela linha do trem. “A gente sabe do esforço que o Sérgio (ex-governador Sérgio Cabral) e a nossa equipe fizeram durante oito anos, mas a dívida ainda é muito grande”, acrescentou.

Sobre os secretários, Luiz Fernando Pezão disse que procurou mesclar a participação de técnicos e políticos na composição da equipe. "Como não tenho a utopia de entender de tudo, busquei especialistas, que sabem mais que eu, mas vou cobrar diretamente o andamento dos projetos e programas de governo", assinalou. 

Os futuros secretários de Trabalho e Renda, deputados Arolde Oliveira, de Governo, Paulo Melo, e de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campo,s tomarão posse no dia 3 de fevereiro. Eles ainda precisam se desincompatibilizar das funções de parlamentares. Além disso, a deputada Cidinha Campos está em tratamento de saúde.

Edição: Armando Cardoso

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias