Ministra Cármen Lúcia encerra campanha Justiça pela Paz em Casa, no Rio

Publicado em 13/03/2015 - 21:57 Por Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Nos cinco dias da campanha nacional Justiça pela Paz em Casa, encerrada nesta sexta-feira (13), foram feitos 70 júris e 10 mil práticas voltadas para ações contra a violência doméstica e contra a mulher, em todo o país. Também foram criadas varas especiais, em diferentes estados, para agilizar o andamento de processos.

A solenidade de encerramento da campanha ocorreu no fim da tarde de hoje, com as presenças da vice-presidenta do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, que coordenou a campanha nacional, e do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, no auditório do tribunal, no centro do Rio. A ministra comemorou o sucesso da campanha e afirmou que ela está apenas começando.

“É apenas um começo de pensar e agir, e a cada nova etapa vamos aprender. Campanhas como essa são para que as coisas não fiquem invisíveis, porque quando as dificuldades não se põem de forma clara, fica mais difícil enfrentá-las”, declarou ela. “Esta não é uma Semana da Mulher, é uma semana de uma sociedade que possa viver em paz, homens e mulheres, com chances de serem felizes juntos”, completou.

O TJ-RJ fez cerca de 1,1 mil audiências de instrução e julgamento na semana, mais 21 reuniões plenárias sobre crimes de feminicídio (61% do total) – quando o homicídio da mulher ocorre por questão de gênero. Ao todo, foram proferidas 282 sentenças e 450 medidas protetivas de urgência.

Para a juíza Adriana Ramos de Mello, uma das idealizadoras do projeto Violeta, que visa a garantir a segurança, em tempo ágil, da mulher vítima de violência, o número é expressivo para apenas uma semana. Lembrou, entretanto, que ainda existem, somente no Rio de Janeiro, 131.030 processos envolvendo matéria de violência doméstica contra a mulher, e ressaltou que o mapeamento de crimes de feminicídio ainda é um desafio para o tribunal.

“Nem todo homicídio de mulher é um feminicídio. Tivemos que olhar processo por processo. Então, fica o desafio de como otimizar esses dados de forma mais rápida em uma segunda campanha”, comentou ela. A juíza elogiou o empenho de todos os tribunais na campanha, mas lamentou que o Judiciário ainda seja um ambiente muito machista, “e esse machismo talvez não venha somente dos homens, mas também das mulheres. Então, ver como os juízes e as juízas se engajaram, para nós, já é uma grande diferença dentro do nosso tribunal”.

Estudo do TJRJ aponta que o número de novos casos de violência doméstica e familiar, contra a mulher, aumentou mais de cinco vezes nos últimos oito anos, passando de 17.756, em 2007 – ano seguinte à edição da Lei Maria da Penha –, para 94.689 em 2014.


Fonte: Ministra Cármen Lúcia encerra campanha Justiça pela Paz em Casa, no Rio

Edição: Stênio Ribeiro

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live Jair Bolsonaro 13.08.2020
Política

Bolsonaro: não existe tentativa de furar o teto de gastos

Bolsonaro defendeu a realização de investimentos públicos em áreas sociais e obras de infraestrutura, mas disse que não existe tentativa de "golpe" para "furar o teto".

A partir de hoje (17) estão liberadas as práticas de esportes coletivos como vôlei, futevôlei, beach tennis e futebol nas praias do Rio de Janeiro.
Geral

Senado aprova auxílio de R$ 600 para trabalhadores do esporte

O Senado aprovou hoje um projeto de lei que regulariza o recebimento do auxílio emergencial por funcionários e atletas do setor de esportes.

Edifício sede do Superior Tribunal de Justiça STJ
Justiça

Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa

 Fabrício Queiroz é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Geral

Rio: 1,4 mil mortes por covid-19 foram em favelas, mostra painel

Número se referem às favelas da capital. O estado do Rio de Janeiro registrou 14.080 óbitos desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, dos quais 8.612  na capital.

O TSE aumentou o esquema de segurança para acessar o prédio do tribunal neste domingo
Justiça

TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes e Tarcísio de Carvalho Neto votaram contra a medida. Somente o relator, Edson Fachin, defendeu a tese para punição. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

TJRJ determina que escolas se preparem para retorno, mesmo em greve

Decisão diz que 70% dos funcionários do administrativo devem retornar ao trabalho presencial, mesmo durante a greve, para prepararem a volta às aulas.