Ato contra projeto de terceirização termina em São Paulo

Publicado em 15/04/2015 - 20:51 Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil - São Paulo

Os movimentos sociais, que se reuniram por volta das 17h no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo, chegaram, às 20h aproximadamente, à Avenida Paulista, próximo ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde encerraram o ato. Eles se juntaram a um grupo de militantes que mais cedo protestou também contra o projeto de terceirização.

Os ativistas se manifestaram não só contra o ajuste fiscal e a terceirização, mas contra a redução da maioridade penal e a corrupção. Segundo os organizadores, cerca de 20 mil pessoas participam da marcha. A Polícia Militar (PM) estima que foram 2,5 mil.

Em frente ao escritório da Presidência da República, na Avenida Paulista, os manifestantes gritaram palavras de ordem, pedindo que o ajuste fiscal do governo federal não retire recursos dos programas sociais. Durante todo o percurso, desde o Largo da Batata, eles caminharam sob chuva forte.

Desde a manhã de hoje, a capital paulista registrou manifestações contra o Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta as atividades de terceirização no país. Os atos integraram o Dia Nacional de Paralisação, que teve protestos em todo o Brasil, convocados por centrais sindicais. Três rodovias paulistas foram interditadas durante a manhã: a Anhanguera, a Anchieta e a Dutra.

Edição: Fábio Massalli

Últimas notícias