Batalhões da PM do Rio de Janeiro virarão Polícia de Proximidade até 2018

Publicado em 13/07/2015 - 22:01 Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Todas as 55 unidades operacionais da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) serão transformadas em batalhões ou companhias de Polícia de Proximidade até 2018, seguindo o modelo implantado no Grajaú, zona norte do Rio, em fevereiro. O plano foi detalhado hoje pelo comandante-geral da corporação, coronel Alberto Pinheiro Neto, em uma reunião na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

De acordo com o coronel, o processo não envolve apenas a construção de novos prédios, mas sim uma nova doutrina de serviços. “Se nós estamos diminuindo os índices criminais mas a população continua com um medo subjetivo, levar a polícia para as proximidades tende a acabar com isso”. De acordo com o coronel, isso já foi feito nos anos 1950 quando existia a polícia de quarteirão.”Vamos retornar o policial para o quarteirão e verificar se ele está fazendo o trabalho dele”.

A Universidade Federal do Rio de Janeiro está acompanhando o trabalho no Grajaú para verificar a eficiência do modelo. As 38 unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) também integrarão essa nova filosofia. O relações públicas da Polícia Militar, Coronel Frederico Caldas, explicou que os 6 mil novos policiais que começam a integrar a corporação a partir do próximo semestre – que serão aprovados no concurso em andamento – vão inaugurar um novo curso de formação. A expectativa é que a partir de agosto já tenhamos a primeira turma de 500 policiais ingressando e a partir daí um cronograma de inclusão de aproximadamente 500 policias por mês”.

Além da polícia de proximidade, o direcionamento estratégico da PM inclui a construção da nova sede administrativa onde hoje funciona o Batalhão de Choque, no centro, a construção da escola profissional no complexo de ensino já existente no Sulacap, na zona oeste, e a construção do Comando de Operações Especias. De acordo com o coronel Caldas, a localização estratégica do local, próximo à Linha Amarela, à Linha Vermelha e ao acesso ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Galeão-Tom Jobim vai revolucionar o emprego das tropas especiais no estado. “Isso vai representar para a polícia uma capacidade de mobilização maior”, disse.

Edição: Aécio Amado

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias