Servidores podem voltar ao trabalho no DF, diz sindicato

Publicado em 06/11/2015 - 14:31 Por Da Agência Brasil - Brasília

Com a proposta do governo do Distrito Federal de criar alternativas para o pagamento retroativo de reajustes, servidores podem voltar ao trabalho. A avaliação é do presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista do Distrito Federal (Sindser), André Luiz da Conceição. “A tendência está sendo esta: volta ao trabalho. A gente entende que a proposta não é uma conquista, mas é um avanço. A greve está muito extensa”, disse.

No DF, diversas categorias estão paradas, como médicos e professores, porque o governo disse que não havia possibilidade, este ano, de pagar reajuste aos servidores por falta de recursos.

Em setembro, o governo do Distrito Federal anunciou um pacote de medidas para tentar equilibrar as contas, entre elas a suspensão do reajuste salarial de diversas categorias, previsto para este semestre. De acordo com o governo local, os aumentos representariam gasto extra de R$ 400 milhões até o fim de 2015.

Ontem (4), após conversa com sindicalistas, o governo anunciou a criação de um grupo de trabalho com a participação dos sindicalistas, para estudar alternativas de aumento de receitas que possibilitem o pagamento do retroativo referente à última parcela dos reajustes concedidos, na gestão passada, a 32 categorias de servidores públicos.

Segundo o governo do DF, caso surjam fontes extras de arrecadação, os retroativos de setembro de 2015 a setembro de 2016 serão pagos em 2017. O início do pagamento da última parcela dos aumentos autorizados em 2013 permanece para outubro do ano que vem. Essa medida depende de aprovação de projetos de lei protocolados na Câmara Legislativa.

Os professores estão parados desde o dia 15 de outubro. Já os médicos, iniciariam a greve no dia 8 do mês passado e estão atendendo apenas emergências, segundo o Sindicato dos Médicos do DF. Também no dia 8, os servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) paralisaram as atividades. No dia 27 de outubro, os funcionários do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) também pararam.

Metrô

Os metroviários, que estão em greve desde a última terça-feira (3), devem continuar de braços cruzados. Segundo o diretor de Relação Sindical dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal (Sindmetrô), Ronaldo Amorim, a situação da categoria é diferente dos servidores. Isso porque o reajuste é previsto em acordo coletivo, e não por lei. Segundo Amorim, em abril, o governo definiu a recomposição da inflação, com pagamento a partir de outubro, o que não aconteceu.

O Metrô-DF estabeleceu um funcionamento especial, enquanto durar a greve. Os trens vão circular apenas nos horários de pico, das 6 às 9 horas e das 17h30 às 20h30. No domingo, as estações ficarão fechadas.

Os departamentos de Estradas de Rodagem (DER) e de Trânsito (Detran-DF) liberaram para todos os veículos, até o fim da paralisação dos metroviários, as faixas exclusivas para ônibus do Setor Policial Sul, da W3 Norte e Sul, da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). Por segurança, a liberação não vale para a faixa exclusiva do BRT Sul. Além disso, foram incluídos 48 ônibus extras no sistema de transporte coletivo.

A greve da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) começou na terça-feira, e os empregados querem reposição da inflação. De acordo com o presidente do Sindser, o acordo coletivo da categoria está vencido. Entre os serviços parados, estão o desentupimento de bueiros, as operações tapa buracos, a poda de árvores e a fiscalização de projetos e obras.

Edição: Maria Claudia

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Teste rápido de COVID-19
Saúde

Estado do Rio registra quase 179 mil casos de covid-19

A capital lidera o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (74.421 casos). Em seguida vem Niterói (9.380) e São Gonçalo (9.298), ambas na Região Metropolitana.  

 


 

VITÓRIA ATLÉTICO MINEIRO E EMPATE DO SANTOS
Esportes

Flamengo perde para o Atlético mineiro no Maracanã

 

Na segunda rodada, o Atlético recebe o Corinthians em jogo previsto para  quinta-feira (13). Já o Flamengo enfrenta um dia antes (12), o Atlético Goianiense.

 

Manifestantes carregam bandeiras nacionais durante um protesto contra o governo no centro de Beirute, Líbano, em 20 de outubro de 2019
Internacional

Polícia entra em confronto com manifestantes em Beirute

Milhares de pessoas foram para a Praça do Parlamento e para a Praça dos Mártires Os manifestantes tentaram entrar em uma área isolada e invadiram os escritórios de ministérios.

Teste rápido de COVID-19
Saúde

Brasil registra 3 milhões de casos de covid-19 e 101 mil mortes

Dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde no início da noite deste domingo (9). Nas últimas 24 horas, o país registrou 23.010 novos casos e 572 mortes. 

Esportes

STJD aceita pedido do Goiás e partida contra o São Paulo é adiada

Cancelamento ocorreu 10 minutos antes do jogo começar. É que 10 jogadores testaram positivo para o novo coronavírus, sendo 8 titulares. Partida ainda não tem nova data.

 

O filme Yover, produzido por Edison Sanchez e Miguel Zanguña Billalva, será exibido na Mostra Ecofalante
Geral

Mostra traz filmes de 24 países sobre questões ambientais e sociais

O 9 º Festival Ecofalante vai de 12 de agosto a 20 de setembro. Terá sessões online por causa da pandemia. Os filmes ficam disponíveis por períodos que variam de 24 horas a dez dias.