Secretário nega abuso de PMs em protesto contra aumento de passagens em SP

Publicado em 12/01/2016 - 23:22 Por Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil - São Paulo

O secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo, Alexandre Moraes, informou hoje (12) à noite, em entrevista coletiva, que a polícia havia prendido pelo menos oito pessoas após os protestos contra o aumento das tarifas do transporte público coletivo. O ato foi dispersado pela Polícia Militar (PM) por volta das 19h30, antes mesmo dos manifestantes começarem a se deslocar em passeata.

Alexandre de Moraes, secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo

O secretário Alexandre de Moraes afirmou que todos os abusos serão apuradosArquivo/Elza Fiúza/Agência Brasil

De acordo com o secretário, o número de presos pode chegar a 11, já que outras três detenções ainda não haviam sido confirmadas. Moraes afirmou que não viu abuso por parte dos policiais na repressão aos manifestantes.

Durante a coletiva, diante do relato de que jornalistas foram agredidos por policiais mesmo estando identificados e que manifestantes já dominados foram espancados, ele disse que todos os abusos serão apurados. "Podem ficar tranquilos. Temos toda a ação filmada."

Segundo Moraes, a polícia convidou os manifestantes para, antecipadamente, apresentar o percurso da manifestação. Conforme o secretário, o MPL não informou com antecedência o trajeto e, por essa razão, a polícia decidiu por quais ruas a passeata deveria seguir.

"Mudamos os itinerários dos ônibus, fizemos varreduras e recolhemos objetos perigosos." O secretário não respondeu por qual razão a polícia passou a adotar, no protesto de hoje, essa postura.

Nas manifestações anteriores do MPL, o policiamento recebia o trajeto minutos antes do início da passeata.

Em seu página nas redes sociais, o MPL publicou fotos de manifestantes com machucados feitos por bombas de estilhaços, informando que ao menos dez pessoas foram feridas, entre elas um morador de rua que estaria desacordado.

"É assim que o governador e o prefeito garantem o direito à manifestação e respeitam os usuários de transporte. Continuam reprimindo manifestantes e impedem que fotógrafos registrem sua ação."

 

Edição: Armando Cardoso

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
.coronavírus, pandemia, Covid-19
Saúde

Secretário adianta pontos da estratégia de vacinação para covid-19

Secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia, disse que está sendo feito o mesmo cálculo usado na vacinação contra influenza: cerca de 100 milhões de doses.

Palmeiras x Corinthians, Paulistão
Esportes

Corinthians e Palmeiras disputam hegemonia em finais do Paulistão

Decisão do título começa hoje (5) com o primeiro jogo no Itaquerão, às 21h30. Rivais estão empatados em número de vitórias em seis finais do estadual. 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fala durante a solenidade de Posse dos ministros  das Comunicações e da Ciência, Tecnologia e Inovações
Política

Bolsonaro diz a embaixador que Brasil vai ajudar o povo libanês

“O Brasil está solidário e manifestamos esse sentimento ao povo libanês. Estaremos presentes nessa ajuda àquele povo que tem alguns milhões de seus dentro do nosso país”, disse o presidente.

 A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional se apresenta no Hospital da Criança de Brasília como parte do projeto Concertos da Saúde.
Geral

Orquestra Sinfônica de São Paulo e Masp apresentam série de concertos

Concertos vão combinar arte e música no auditório do Masp. Live será transmitida a partir das 20h no YouTube.

Austrália fecha fronteira estadual pela 1ª vez em 100 anos para deter coronavírus. Na foto, pessoas com trajes de proteção em Melbourne, Austrália
Internacional

Com aumento de mortes por covid-19, Austrália terá mais restrições

Segundo estado mais populoso da Austrália, Vitoria relatou crescimento recorde de 725 novos casos de covid-19, apesar de ter restabelecido o lockdown em Melbourne, a capital.

Teletrabalho, home office ou trabalho remoto.
Economia

Serviço público tem mais pessoal em trabalho remoto que setor privado

Resultados da pesquisa evidenciam desigualdade com números gerais de trabalho remoto no país com recortes também por idade, gênero, raça/cor e escolaridade, diz o Ipea.