Forças Armadas começam a atuar na segurança em Natal

Publicado em 20/01/2017 - 20:06 Por Sumaia Villela - Enviada especial da Agência Brasil - Natal

Militares das Forças Armadas começam hoje (20) a atuar no policiamento na região metropolitana de Natal, que vive um clima de insegurança por causa do confronto entre facções criminosas que já dura uma semana na Penitenciária de Alcaçuz. Dos 1.846 militares enviados ao Rio Grande do Norte para o reforço, 650 já vão para as ruas nesta sexta-feira e os demais começam a atuar até domingo (22). As atividades das Forças Armadas não estão subordinadas aos órgãos de segurança pública estaduais.

De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, por enquanto, os militares não vão trabalhar na segurança dos presídios, como ficou acertado entre governadores e o presidente Michel Temer após a deflagração da crise prisional pelo país. Essa etapa só será colocada em prática depois que o estado retomar o controle da Penitenciária de Alcaçuz. “Os órgãos de inteligência precisam nos dar a garantia que não existe risco de acirrar os ânimos e isso resultar em confrontos. Reitero que as Forças Armadas não vão reprimir facções, remanejar presos. Vão fazer a vistoria, a limpeza das unidades prisionais.”

Ônibus incendiado em Natal

Ônibus incendiado em NatalImagem de divulgação/Seturn

A vigilância da região de Alcaçuz será feita pela Polícia Militar, que, com a chegada das Forças Armadas, poderá se concentrar na segurança e controle do sistema carcerário. Além disso, segundo o ministro, o Rio Grande do Norte precisa se comprometer a impedir a entrada de armas, celulares e drogas nos presídios.

Perguntado sobre o momento da chegada dos militares ao Rio Grande Norte, depois de uma semana de conflitos sangrentos em Alcaçuz, Jungmann disse que o pedido de ajuda federal só foi feito pelo governador Robinson Faria recentemente.

Ônibus podem voltar a circular neste sábado

Os militares também irão atuar na segurança dos ônibus em Natal. O serviço de transporte coletivo está suspenso pelo segundo dia seguido por causa de ataques a veículos depois da transferência de 220 presos da facção Sindicato do Crime do RN de Alcaçuz para outra unidade prisional.

O governo estadual tentou negociar com Sindicato das Empresas de Transporte Urbano o retorno do serviço de ônibus ainda hoje, mas entidade decidiu que a retomada só será feita se houver garantias mínimas de segurança, como escolta de veículos.

Título e texto alterados às 14h18 do dia 23/01/2017 para esclarecimento sobre atuação das Forças Armadas na segurança pública de Natal 

Edição: Luana Lourenço

Últimas notícias