Mais de 1,2 mil PMs voltam às ruas do Espírito Santo, diz governo estadual

Publicado em 12/02/2017 - 19:44 Por Ana Cristina Campos – Enviada especial da Agência Brasil - Vitória

A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo informou, há pouco, que 1.236 policiais militares (PMs) atenderam ao chamado do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, neste domingo (12), e voltaram a patrulhar as ruas do estado. A corporação conta com 10 mil homens, mas, em dias normais, o policiamento é feito por 2 mil PMs.

“Trabalhando em dois turnos de oito horas, além do efetivo empregado a pé, o policiamento ostensivo contou com 59 viaturas utilizadas durante todo o dia”, diz a nota da secretaria.

Policiais de diferentes unidades, incluindo cavalaria e polícia ambiental, apresentaram-se diretamente nos locais determinados pela corporação sem passar pelos quartéis para evitar o bloqueio feito na entrada dos batalhões pelo movimento de mulheres acampadas nos locais há nove dias, em protesto por melhorias salariais. A maior parte dos policiais que estão retornando são oficiais e praças que estavam de férias ou de folga e que estão sendo convocados.

Retirada de helicóptero

A PM, com o apoio do Exército, retirou esta tarde de helicóptero agentes lotados no Batalhão de Missões Especiais, a tropa de elite da corporação no Espírito Santo, para fazer o policiamento ostensivo nas ruas da região metropolitana da capital capixaba já que a entrada do quartel está bloqueada pelas mulheres.

Ontem, 70 policiais foram retirados de helicóptero do Quartel do Comando-Geral da corporação em Maruípe, na região central de Vitória. Segundo a SSP-ES, esses PMs queriam voltar ao trabalho e estavam impedidos de sair pelo movimento das mulheres.

Homicídios

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo informou que foram registrados 144 homicídios no estado desde o sábado, 4 de fevereiro, até as 17h de hoje. O maior número de mortes violentas foi contabilizado na segunda-feira (6), com 40 homicídios. Hoje, houve quatro homicídios. A SSP-ES ainda não divulgou um balanço das ocorrências desde o início da paralisação.

Edição: Augusto Queiroz

Últimas notícias