Paralisação de PMs no Espírito Santo chega ao sétimo dia sem solução

Publicado em 10/02/2017 - 11:06 Por Ana Cristina Campos – Enviada especial da Agência Brasil - Vitória

A grave crise na segurança pública no Espírito Santo desencadeada pela paralisação dos policiais militares chega hoje (10) ao sétimo dia sem solução. O secretário de Segurança Pública, André Garcia, e o comandante geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, acompanhados de toda a cúpula da segurança pública, vão anunciar nesta manhã as ações que serão tomadas após o resultado da reunião de negociação com o movimento grevista da Polícia Militar.

A reunião entre os secretários do governo do Espírito Santo e representantes das mulheres e das associações de classe dos policiais militares terminou sem acordo no início da madrugada desta quarta-feira após dez horas de negociação.

Desde segunda-feira (6), o patrulhamento tem sido feito pelas Forças Armadas e pela Força Nacional. O Ministério da Defesa anunciou ontem (9) reforço na segurança em todo o estado. O comandante da força-tarefa da Operação Capixaba, general Adilson Katibe, disse que, até o fim de semana, o número total de militares deve chegar a 3 mil homens. A força-tarefa conta atualmente com 1.783 homens, sendo 1 mil do Exército, 373 da Marinha, 110 da Força Aérea e 300 da Força Nacional.

Segundo o ministério, as tropas das Forças Armadas estão vindo do Rio de Janeiro,  de  Juiz de Fora (MG), Brasília e Taubaté (SP), além de militares do próprio estado do Espírito Santo. Estão sendo empregados na operação três blindados da Marinha, e devem chegar mais quatro dentro das próximas horas. No total, 106 viaturas, além de helicópteros, são empregados pelas forças federais.

Número de homicídios

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo, foram registrados 121 homicídios no estado desde sábado (4) até a manhã de hoje, a maior parte na região metropolitana de Vitória. A Secretaria de Segurança Pública não divulgou um balanço das ocorrências.

Febre amarela

Umas das consequências da falta de patrulhamento dos policiais nas ruas é a suspensão da vacinação da febre amarela nas unidades de saúde na Grande Vitória. O estado é um dos que têm registrado casos da doença. Com 114 notificações de suspeitas da doença, o Espírito Santo tem 20 casos confirmados de febre amarela e continua investigando 89. Seis pessoas morreram pela doença nos municípios de Ibatiba, Irupi, Itarana e Pancas.

Os ônibus não voltaram a circular hoje na Grande Vitória. Eles chegaram a circular na manhã de ontem (9), mas pararam após a morte do presidente do Sindicato dos Rodoviários de Guarapari, Wallace Barão. Ele foi encontrado morto a tiros dentro de um carro na manhã desta quinta-feira, em Vila Velha.

Escolas, unidades de saúde, agências bancárias, repartições públicas e a maior parte das lojas estão fechadas desde segunda-feira na Grande Vitória.

Edição: Valéria Aguiar

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias