MP pede medidas contra violência policial a jornalistas em manifestações

Publicado em 28/03/2017 - 22:14 Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil - São Paulo

Rio de Janeiro - Tumulto durante manifestação contra reforma da Previdência em passeata na Avenida Presidente Vargas (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O Ministério Público de São Paulo enviou à PM recomendações sobre a atuação em abordagens a profissionais da imprensaFernando Frazão/Agência Brasil

Como parte do inquérito civil instaurado para apurar violações aos direitos humanos cometidas por policiais militares contra jornalistas em manifestações, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) enviou à Polícia Militar (PM) recomendações sobre a atuação em abordagens a profissionais da imprensa. A investigação do MP cita notícias divulgadas nos últimos três anos sobre a violência praticada pela PM contra jornalistas que trabalhavam na cobertura de protestos.

Assinado pelos promotores Eduardo Valerio e Beatriz Helena Budin Fonseca, o documento divulgado ontem (27) orienta que haja uma norma interna para responsabilizar administrativamente os oficiais cujos subordinados pratiquem agressões ou atos violentos contra trabalhadores da imprensa.

O MP pede que a corporação proíba policiais “de apreender ou destruir equipamentos jornalísticos, apagar ou inutilizar conteúdos frutos do trabalho da imprensa e de elaborar lista com dados pessoais de jornalistas, fotógrafos, cinegrafistas e demais profissionais da área de maneira geral”.

Outras providências a serem tomadas pelo comando da PM é o diálogo com o setor da imprensa para elaborar um protocolo de atuação de policiais perante jornalistas. “O intuito da medida é o de garantir que a corporação proteja os profissionais da imprensa e permita sua livre atuação”, divulgou, em nota, o MP.

“O objetivo principal das manifestações de rua é exatamente o de tornar pública a opinião de uma coletividade e externar seus ideais ao maior contingente possível de pessoas, transcendendo o âmbito individual, sendo isso viabilizado pelo trabalho dos profissionais da imprensa”, afirmou a promotoria na recomendação.

Violência

De acordo com dados da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), juntados aos autos, mais de cem profissionais da imprensa foram agredidos durante a cobertura da onda de manifestações de 2013. Segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), foram 171 casos registrados entre 2013 e 2014. Desses, 112 foram praticados intencionalmente – quando o agredido já havia se identificado como profissional da imprensa. Setenta dos casos aconteceram na cidade de São Paulo.

A promotoria destacou a resolução número 6, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, apontando que a “atuação do Poder Público deverá assegurar a proteção da vida, da incolumidade das pessoas e os direitos humanos de livre manifestação do pensamento e de reunião, essenciais ao exercício da democracia”.

A Agência Brasil procurou a Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública do estado para obter um posicionamento a respeito da decisão do MP, mas não teve retorno até a publicação da reportagem.

Edição: Amanda Cieglinski

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Parque Nacional da Tijuca
Geral

Ingresso ao Parque Nacional da Tijuca está 80% mais barato

O desconto tem por objetivo estimular o turismo local e diminuir, a curto prazo, os impactos negativos no equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, causados pela pandemia da covid-19.

nascentes devem ser protegidas
Geral

Prazo para inscrições no Prêmio ANA 2020 termina no sábado

Inscrições devem ser feitas pelo site da premiação. Cada participante pode inscrever mais de uma iniciativa. Além disso, poderão ser apresentados trabalhos indicados por terceiros.

Premiê britânico, Boris Johnson, deixa residência oficial em Londres
Internacional

Boris Johnson teme que Reino Unido perca poder se Escócia se separar

Escócia depositou 55% dos votos contra a independência em um referendo de 2014, mas o Partido Nacional Escocês, que governa a nação, quer outro pleito.

Incendios florestais entre Miranda e Corumbá BR 262 e MS 184
Geral

Engajamento da população é vital para evitar incêndio na natureza

Coordenador ambiental diz que a educação tem que começar desde os primeiros anos das crianças, tanto em casa quanto nas escolas.

ensino online, educação a distância
Educação

Professores passam a contar com apoio emocional durante pandemia

Pesquisa feita com 7.734 mil professores de todo o país este ano mostrou que 83% ainda se sentem pouco ou nada preparados para o ensino remoto e 50% se preocupam com a saúde mental.

Um membro do exército libanês é visto na área do porto, danificado após uma explosão em Beirute, Líbano, em 10 de agosto de 2020
Política

Bolsonaro nomeia integrantes de delegação brasileira que vai a Beirute

Entre os integrantes da delegação estão o ex-presidente Michel Temer, os senadores Nelson Trad Filho e Luiz Pastore, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.