Operação da PF investiga irregularidades na compra de medicamentos de alto custo

Publicado em 08/05/2017 - 12:01 Por Marli Moreira – Repórter da Agência Brasil - São Paulo

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (8), por determinação da Justiça, dois mandados de busca e apreensão: um em Campinas e outro em São Paulo, no âmbito da Operação Cálice de Hígia, que investiga irregularidades na compra de um medicamento de alto custo. De acordo com a PF, nos últimos sete anos, o governo gastou R$ 1,2 bilhões apenas na compra de um medicamento.

Em nota, a PF informou que, em Campinas, funciona uma associação responsável por ajuizar uma série de medidas solicitando, em caráter liminar, o fornecimento deste medicamento, que ainda não conta com aprovação definitiva pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Apenas no Distrito Federal, as investigações identificaram 900 pedidos de compra deste medicamento. No ano passado, até setembro, tinham sido gastos mais de R$ 560 milhões com a aquisição do medicamento.

Uma parte expressiva das solicitações foi feita por uma associação de pacientes, que reúne portadores da Síndrome Hemolítica Urêmica atípica (SHUa) ou casos de diagnóstico inconclusivo ou negativo da doença.

Há suspeita de que o representante da indústria farmacêutica detentora dos direitos de exploração do medicamento repasse valores a advogados para eles defenderem pacientes. O nome da Operação é uma referência a um dos símbolos da farmácia, o cálice dourado com uma serpente enrolada.

Edição: Denise Griesinger

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Voltar ao topo da página