Iniesta anuncia que não voltará a defender a seleção espanhola

Publicado em 01/07/2018 - 16:20 Por Agência EFE - Moscou

O meia Andrés Iniesta anunciou neste domingo, após a Espanha ser eliminada da Copa do Mundo pela Rússia, que não voltará a defender a camisa da seleção. 

"É uma realidade que hoje é o minha última partida pela seleção. Em nível individual, acaba uma etapa maravilhosa. Às vezes, o final não é como você sonha, mas as circunstâncias o marcam assim", disse o jogador na área de entrevistas do Estádio Luzhniki, onde a 'Roja' perdeu nos pênaltis para os anfitriões após empate em 1 a 1 no tempo normal em duelo válido pelas oitavas de final. 

"[A eliminação] Me deixa um sabor ruim e difícil. Como aconteceu com todos. É um momento difícil que vivemos em outras ocasiões. Não fomos capazes de dar o passo necessário", acrescentou Iniesta, que entrou para a história do futebol espanhol ao marcar o gol do título mundial em 2010, na vitória por 1 a 0 sobre a Holanda na prorrogação. 

Iniesta começou a partida contra a Rússia no banco de reservas pela primeira vez nesta Copa, algo ao qual não estava acostumado nos últimos anos. Porém, disse que não se sentiu incomodado por isso. 

"É o técnico quem toma as decisões, mesmo que alguém não concorde. No final, ele fez o que achava ser melhor para a equipe. É uma pena que não tenhamos conseguido nos classificar. Os pênaltis sempre são muito cruéis", declarou. 

O meia poupou de críticas o rendimento da Espanha na partida, preferindo ressaltar o esforço dos companheiros. 

"Hoje estamos irritados, porque não fomos capazes de dar mais um passo. Não estivemos à altura das circunstâncias, apesar de termos tentado tudo no jogo de hoje. E, individualmente, não foi a despedida sonhada, mas o futebol e a vida têm dessas coisas", argumentou. 

Em relação à tradicional busca por responsáveis pela eliminação, o meia disse que os "principais culpados sempre são os jogadores". 

"Depois, cada um tem que assumir a sua responsabilidade", frisou. 

Iniesta também refutou a ideia, por parte da imprensa espanhola, de que a demissão de Julen Lopetegui como técnico a dois dias da estreia da Espanha na Copa pesou para o mau resultado. ]

"Seria oportunista dizwer que essa decisão foi fundamental para que hoje estejamos fora. Tudo tem a sua importância, mas no final quem tínhamos a palavra e a bola éramos nós", finalizou. 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias