Ação solidária marca os 31 anos do Grupo Pela Vidda-RJ

Evento foi realizado na Cinelândia, região central do Rio

Publicado em 24/05/2020 - 18:08 Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O Grupo Pela Valorização, Integração e Dignidade do Doente de Aids (Grupo Pela Vidda-RJ) completou 31 anos de existência neste domingo (24).
Para marcar a data, uma ação solidária social e educativa foi realizada pela ONG na Cinelândia, região central do Rio de Janeiro. No local, houve distribuição de alimentos, máscaras e materiais doados de higiene e limpeza a moradores de rua e pessoas em situação de vulnerabilidade. Em razão da chuva, a equipe de voluntários da ONG se deslocou até pontos da região com população de rua para entregar as cestas básicas.

De acordo com o coordenador do Grupo Pela Vidda-RJ, Marcio Villard, além do caráter de solidariedade, que objetivou amenizar o sofrimento de pessoas que perderam a renda devido à pandemia, a ação mostrou outro objetivo, que é “não perder a perspectiva de luta e de otimismo”. Também foi montada uma mesa para distribuição gratuita de lanches à população de rua em frente ao cinema Odeon.

Tratamento da aids e preconceito

Nestes 31 anos de existência, o Grupo Pela Vida-RJ acompanhou e comemorou avanços no tratamento e assistência às pessoas com HIV. Já em relação ao preconceito, muita coisa parou no tempo.
Segundo o coordenador do Grupo, Marcio Villard, do ponto de vista social, do estigma e do preconceito, “a gente continua praticamente como na década de 1980, porque o movimento conservador no mundo dificulta muito as ações e visões dos direitos humanos. Elas são muito combatidas e isso cria dificuldades para realizar as atividades e obter um maior apoio, como o que a gente já conseguiu ter”.
Apesar da crise causada pela pandemia do novo coronavírus e das dificuldades econômicas que o Brasil enfrenta, o coordenador defendeu que não se podem perder as conquistas de 1996, que destacam o acesso universal a tratamento para todas as pessoas. “Isso é uma coisa que me preocupa muito e é um desafio que está posto, não só para a Aids, mas para outras doenças crônicas”, disse.

A Grupo Pela Vidda-RJ foi criado em 24 de maio de 1989 pelo escritor, ativista dos direitos humanos e da luta contra a aids, Herbert Daniel, como uma entidade de defesa dos direitos humanos, composta principalmente por pessoas vivendo com HIV e Aids, seus amigos e familiares.

Edição: Nélio de Andrade

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
O Dia do Índio, celebrado no Brasil em 19 de abril
Direitos Humanos

Violência contra povos indígenas aumentou de 2018 para 2019, diz Cimi

Segundo relatório do Conselho Indigenista Missionário, houve aumento de ocorrências em 16 das 19 categorias de agressões, que incluem racismo, expropriação de terras e omissão do poder público.