Ministro da Defesa encerra visita ao Nordeste

Forças Armadas estão à disposição no combate à covid-19, diz ministro

Publicado em 17/06/2020 - 20:01 Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, encerrou hoje (17), em Salvador (BA), a visita oficial feita à Região Nordeste. Ele foi conhecer, de perto, três dos dez centros de comando conjunto que o ministério criou na segunda quinzena de março para coordenar e planejar o emprego de militares das três Forças (Exército, Marinha e Força Aérea) no combate ao novo coronavírus.

Ontem (16), o ministro já tinha visitado os comandos instalados em Natal (RN) e no Recife (PE). O comando instalado na capital potiguar é responsável por avaliar a viabilidade no atendimento de demandas de apoio feitas por órgãos estaduais e municipais de todo o Rio Grande do Norte e da Paraíba. Já o chamado Comando Conjunto Nordeste responde pelos pedidos de Alagoas, Ceará, Pernambuco, Piauí e Sergipe, enquanto o comando instalado na Bahia responde por requisições de qualquer parte do estado.  

Hoje, na capital baiana, Silva se reuniu, separadamente, com o governador Rui Costa e com o prefeito, Antônio Carlos Magalhães Neto. Costa recebeu o ministro na governadoria, no Centro Administrativo da Bahia. De acordo com a assessoria do Ministério da Defesa, Silva garantiu ao governador que as Forças Armadas continuarão trabalhando de forma conjunta para mitigar os efeitos da pandemia. Até ontem (16), a Bahia registrava um total de 39.206 casos da covid-19 e 1.181 mortos pelo novo coronavírus.

Na sequência, o ministro se reuniu com ACM Neto no Palácio Thomé de Souza, sede do Poder Executivo municipal. Em nota, a prefeitura informou que a conversa girou em torno das ações de enfrentamento à covid-19 que o município vem realizando com apoio das Forças Armadas. O prefeito também aproveitou a ocasião para pedir que o apoio militar, principalmente em termos logísticos, se estenda pelo tempo necessário até a superação da doença.

Participaram das duas reuniões os comandantes regionais do Exército, general João Leonel Filho; da Força Aérea, coronel Ivan Karpischin; e da Marinha, vice-almirante André Luiz Silva Lima.

Após visitar o Comando do 2º Distrito Naval e a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), o ministro conversou com jornalistas, aos quais explicou a razão de sua presença na região. “Fecho, hoje, uma visita para prestigiar nossos militares, que estão ajudando no combate à covid-19”, declarou o ministro, alegando que a visita às instalações militares foi marcada por sentimentos antagônicos.

“Satisfação por ver todos empenhados [no enfrentamento ao novo coronavírus], mas triste por esta pandemia pela qual passa o Brasil e o mundo”, disse o ministro, detalhando que cerca de 30 mil militares, além de viaturas e aeronaves militares, estão a serviço de estados e municípios para ajudar a mitigar a grave crise sanitária que, até a tarde de ontem, já tinha matado ao menos 45.241 pessoas em todo o país.

Ontem, ao fim de sua rápida passagem pelo Recife, o ministro foi perguntado sobre o papel dos militares em um momento conturbado da vida política. “As Forças Armadas não tem viés político nenhum. Nosso pessoal da ativa está voltado para estas missões e atribuições, para nossas operações e para o nosso trabalho do dia a dia - apesar da covid-19. As Forças Armadas estão isentas da política”, assegurou Silva em resposta depois compartilhada nas redes sociais oficiais.

Matéria alterada às 21h54 para correção de informação

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias