PF investiga superfaturamento de camas hospitalares no Tocantins

Prejuízos podem chegar a mais de R$ 7 milhões

Publicado em 18/09/2020 - 09:30 Por Karine Melo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Controladoria-Geral da União (CGU), deflagrou nesta sexta-feira (18) a Operação Cama de Tut. Os alvos são supostos ilícitos relacionados ao processo de compra de 590 camas hospitalares pelo Governo do Tocantins. Trinta policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, nas cidades de Palmas e São Paulo.

Além de novas provas, os agentes verificam a efetiva entrega dos bens adquiridos e o suposto pagamento de vantagens indevidas. O potencial de superfaturamento apontado pelos órgãos de controle seria de mais de R$ 7 milhões .

Fraude

Os investigados são suspeitos de fraudar o processo licitatório conduzido pela Secretaria Estadual de Saúde e alienar os leitos com valores aproximadamente 227% superiores aos praticados pelo mercado e pela própria empresa que venceu o certame, conforme apurado pelos investigadores, pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela CGU. 

O grupo poderá responder pelos crimes de fraude a licitação e peculato, cujas penas somadas podem chegar a 16 anos de reclusão.

Edição: Kleber Sampaio

Últimas notícias
Palácio do Supremo Tribunal Federal na Praça dos Três poderes em Brasília
Justiça

Ministra do STF libera execução das emendas do relator

A decisão foi tomada após o Congresso aprovar, na semana passada, resolução para cumprir parte da decisão de dar publicidade ao processo de destinação dos recursos.