Polícia do Rio instaura inquéritos para apurar vacinação indevida

Entre os crimes investigados estão falsidade ideológica e peculato

Publicado em 10/03/2021 - 22:25 Por Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro instaurou dois inquéritos para investigar diversos casos onde pode ter havido vacinação indevida de pessoas que não estavam nas prioridades estabelecidas. A apuração foi anunciada nesta quarta-feira (10) e ficou a cargo da Delegacia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro.

Os inquéritos vão investigar falsidade ideológica, peculato e infração de medidas sanitárias contra gestores do Hospital Estadual Azevedo Lima e da empresa de administração de cemitérios e planos funerários Rio Pax por infrações ao aplicar a vacina contra a covid-19.

No primeiro caso, segundo a polícia, houve autorização para vacinar pessoas de setores administrativos do hospital. No caso da Rio Pax, também segundo a polícia, foi utilizado ofício genérico a todos os colaboradores, afirmando que atuavam em contato com cadáveres contaminados.

Além desse dois casos, mais 12 denúncias de vacinação indevida estão sendo apuradas pela delegacia. A Secretaria Estadual de Saúde e a empresa Rio Pax foram procuradas para se pronunciarem sobre a instauração dos inquéritos, mas ainda não se manifestaram.

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias