Hungria detém milhares de imigrantes ilegais procedentes do Kosovo

Publicado em 10/02/2015 - 16:43 Por Da Agência Lusa - Budapeste

Cerca de 8 mil imigrantes, a maioria proveniente do Kosovo, a ex-província ao Sul da Sérvia autoproclamada independente em 2008, foram detidos nos últimos seis dias após atravessarem ilegalmente a fronteira com a Hungria, informou hoje (10) a polícia húngara. Uma onda migratória começou a ser registrada nesta região do Sudeste da Europa desde o início de fevereiro. Em busca de uma vida melhor, os imigrantes do Kosovo pedem asilo aos países aos quais conseguem chegar.

As autoridades policiais húngaras explicaram que, nos últimos dez dias, foram detidos diariamente cerca de mil imigrantes ilegais provenientes do norte da Sérvia. Eles atravessam a fonteira da Hungria, porque o país faz parte da União Europeia (UE). A estimativa é que 90% dos imigrantes ilegais saiam do Kosovo. No entanto, a maioria deles pretende usar a Hungria como uma passagem em direção a outros países da UE.

O primeiro-ministro húngaro Viktor Orban tem-se mostrado um forte opositor à imigração econômica e o seu partido Fidesz (nacionalista conservador) prometeu adotar duras medidas para conter a onda migratória. Deputado de destaque do Fidesz, Antal Rogan defendeu uma alteração nas leis sobre imigração para que os imigrantes ilegais permaneçam detidos até a aprovação ou rejeição de seus requerimentos.

Segundo números oficiais, a Hungria registou 43 mil pedidos de asilo em 2014, comparados aos 2,2 mil de 2012. As proporções desse novo êxodo não param de aumentar desde dezembro e também atingem a Bósnia-Herzegovina, ex-república iugoslava que continua a tentar aplicar sem sucesso reformas políticas e econômicas que permitam seu desenvolvimento e uma aproximação da UE.

De acordo com dados do Ministério do Interior do Kosovo, 24 mil pessoas abandonaram o país entre janeiro e novembro de 2014. Desde então, 50 mil pessoas optaram por também sair do território. Com 1,8 milhão de habitantes, nos últimos 12 meses, 4% da população deixou o pequeno país, que ainda não foi oficialmente reconhecido pela Sérvia e por outros Estados, incluindo cinco membros da UE.

A Bósnia-Herzegovina enfrenta problema semelhante, com 60% dos jovens manifestando interesse em emigrar em busca de prosperidade, após mais de 150 mil terem deixado o país desde o final da guerra civil, há duas décadas. Na Bósnia, 27% dos 3,8 milhões de habitantes vivem na pobreza.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias