Presidente nigeriano pede assistência dos EUA para combater Boko Haram

Publicado em 14/02/2015 - 16:10 Por Da Agência Lusa - Washington

epa04403951 Nigerian soldiers display one of the captured Boko Haram armoured vehicles as they drive it through Maiduguri, Nigeria, 17 September 2014. The Nigerian military is currently engaged in opperations against Bo

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, pediu aos Estados Unidos  assistência no combate aos extremistas do Boko HaramAgência Lusa/EPA/Tony Nwosu

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, pediu aos Estados Unidos maior assistência no combate aos extremistas do Boko Haram, noticiou o Wall Street Journal.

"Não estão combatendo o ISIS? Por que é que não vêm para a Nigéria?", disse Goodluck Jonathan ao jornal norte-americano, em entrevista publicada na sexta-feira (13), referindo-se ao Estado Islâmico.

"Eles são nossos amigos. Se a Nigéria tem um problema, então nós esperamos que os Estados Unidos venham e nos apoiem", afirmou o presidente nigeriano.

Hoje de manhã (14), o Exército nigeriano reagiu ao ataque do grupo extremista Boko Haram na Nigéria, em uma tentativa de tomar a cidade de Gombe, capital do estado com o mesmo nome, disseram à agência Efe vizinhos da localidade. Os fundamentalistas tentaram conquistar a cidade depois de tomar os municípios de Dadinkow e Lubo, situados a cerca de 35 quilômetros da capital do estado.

"Toda a gente foi para casa ou se escondeu. Estamos ouvindo disparos a distância e o ruído dos aviões", contou à agência espanhola um vizinho de Gombe, Abu Hassan. Outros residentes saíram da cidade devido à possibilidade de ela ser tomada pelos extremistas. 

O Boko Haram já perpetrou outros ataques em Gombe. O último ocorreu há duas semanas, quando o grupo explodiu um veículo no estacionamento de um estádio em que o presidente do país acabava de proferir um discurso eleitoral.

Os islamitas também tentaram em duas ocasiões, em janeiro e fevereiro, tomar a capital do estado de Borno, em Maiduguri, mas o Exército combateu a ofensiva.

Edição: Valéria Aguiar

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
.coronavírus, pandemia, Covid-19
Saúde

Secretário adianta pontos da estratégia de vacinação para covid-19

 

Secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia, disse que está sendo feito o mesmo cálculo usado na vacinação contra influenza: cerca de 100 milhões de doses.

Palmeiras x Corinthians, Paulistão
Esportes

Corinthians e Palmeiras disputam hegemonia em finais do Paulistão

Decisão do título começa hoje (5) com o primeiro jogo no Itaquerão, às 21h30. Rivais estão empatados em número de vitórias em seis finais do estadual. 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fala durante a solenidade de Posse dos ministros  das Comunicações e da Ciência, Tecnologia e Inovações
Política

Bolsonaro diz a embaixador que Brasil vai ajudar o povo libanês

“O Brasil está solidário e manifestamos esse sentimento ao povo libanês. Estaremos presentes nessa ajuda àquele povo que tem alguns milhões de seus dentro do nosso país”, disse o presidente.

 A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional se apresenta no Hospital da Criança de Brasília como parte do projeto Concertos da Saúde.
Geral

Orquestra Sinfônica de São Paulo e Masp apresentam série de concertos

Concertos vão combinar arte e música no auditório do Masp. Live será transmitida a partir das 20h no YouTube.

Austrália fecha fronteira estadual pela 1ª vez em 100 anos para deter coronavírus. Na foto, pessoas com trajes de proteção em Melbourne, Austrália
Internacional

Com aumento de mortes por covid-19, Austrália terá mais restrições

Segundo estado mais populoso da Austrália, Vitoria relatou crescimento recorde de 725 novos casos de covid-19, apesar de ter restabelecido o lockdown em Melbourne, a capital.

Teletrabalho, home office ou trabalho remoto.
Economia

Serviço público tem mais pessoal em trabalho remoto que setor privado

Resultados da pesquisa evidenciam desigualdade com números gerais de trabalho remoto no país com recortes também por idade, gênero, raça/cor e escolaridade, diz o Ipea.