Secretário de Estado norte-americano visita hoje Kiev

Publicado em 05/02/2015 - 08:11 Por Da Agência Lusa - Washington

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, visita hoje (5) a Ucrânia, tendo reuniões agendadas em Kiev com o presidente Petro Poroshenko e o primeiro-ministro Arseni Iatseniouk. Os Estados Unidos estão avaliando uma eventual entrega de armamento ao país para ajudar Kiev a resistir aos separatistas pró-russos que controlam a Região Leste.

Ash Carter, nomeado no início de dezembro de 2014 pelo presidente norte-americano Barack Obama para o cargo de secretário de Defesa, em substituição a Chuck Hagel, afirmou ser favorável a uma eventual entrega de armamento aos ucranianos.

“Estou inclinado a seguir nessa direção, porque acho que devemos ajudar os ucranianos a se defender”, declarou Ash Carter, quando questionado pelo presidente da comissão das Forças Armadas do Senado (câmara alta do Congresso norte-americano), o republicano John McCain, sobre o envio de “armas defensivas” para Kiev.

“Sobre a natureza dessas armas, não posso neste momento pronunciar-me, ainda não falei” sobre o assunto com o Pentágono (Departamento de Defesa) ou com os líderes ucranianos, indicou Carter, que aguarda a confirmação do Senado para assumir as novas funções.

Washington, que acusa a Rússia de armar os rebeldes (acusação que Moscou rejeita), tinha afastado até o momento a hipótese de fornecer armamento a Kiev, limitando a ajuda a uma assistência militar não letal, com a entrega de radares, coletes à prova de bala e equipamento médico, entre outros itens.

Durante a visita a Kiev, John Kerry vai encontrar-se ainda com o seu colega ucraniano, Pavlo Klimkine.

Os encontros na capital ucraniana terão como objetivo avaliar de que forma os Estados Unidos e a Ucrânia podem trabalhar em conjunto para reduzir a tensão na área, afirmou, no dia 30 de janeiro, a porta-voz do Departamento de Estado, Jennifer Psaki.

Segundo ela, a visita do secretário de Estado vai reforçar o apoio inabalável dos Estados Unidos à Ucrânia e aos seus cidadãos.

Últimas notícias