Grupo extremista mata pelo menos 15 e mantém reféns em universidade queniana

Publicado em 02/04/2015 - 08:15 Por Da Agência Lusa - Garissa (Quênia)

O grupo extremista islâmico somali Shebab reivindicou o ataque hoje (2) ao Centro Universitário de Garissa, no Quênia, que fez pelo menos 15 mortos. “O Quênia está em guerra com a Somália (…). Nossos homens estão ainda no interior e em combate. A missão deles é matar aqueles que são contra os Shebab”, disse, por telefone, um porta-voz do grupo islâmico, Cheikh Ali Mohamud Rage.

Um grupo de estudantes, cujo número não foi estimado, continua retido no interior da Universidade de Garissa, no Leste do Quênia, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Somália, na sequência de um ataque de homens armados.

De acordo com a Cruz Vermelha queniana, os atacantes ocuparam e controlam os edifícios da residência universitária, onde moram centenas de estudantes. "Cinquenta estudantes foram libertados", informou a organização em um comunicado, sem explicar as circunstâncias da libertação.

As forças de segurança quenianas lançaram uma operação para capturar os atacantes.

O Centro de Operação de Desastres local informou, em sua conta na rede social Twitter, que um grupo de homens armados atacou a universidade de Garissa, por volta das 5h30 locais (23h30 de ontem [1º], no horário de Brasília), quando os atacantes entraram na universidade e começaram a disparar indiscriminadamente e detonaram vários engenhos explosivos.
 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
sala de aula
Educação

UFRJ transfere para o dia 24 o início do período letivo remoto

Período letivo da UFRJ está suspenso desde 16 de março por causa da pandemia. Com o adiamento do início do período letivo, o término passou de 31 de outubro para 14 de novembro.

Cúpula da bomba atômica durante cerimônia para marcar o 75º aniversário do bombardeio atômico em Hiroshima.
Geral

Hiroshima: primeiro ataque com bomba atômica completa 75 anos

Hiroshima foi destruída após o primeiro ataque nuclear da história durante a Segunda Guerra Mundial. Três dias depois os Estados Unidos bombardearam Nagazaki.

.facebook
Internacional

Facebook remove postagem de Trump por desinformação sobre covid-19

Porta-voz do Facebook diz que vídeo postado inclui afirmações falsas, o que é uma violação de sua política sobre desinformações prejudiciais.

Polícia Federal genérica
Geral

PF cumpre 6 mandados de prisão contra fraudes em contratações na saúde

Alvos são empresários e agentes públicos suspeitos de fazer contratações irregulares para serviços na área da saúde. Três pessoas já foram presas, segundo a Polícia Federal.

Teste rápido de COVID-19
Internacional

Coreia do Norte: 1º caso suspeito de covid-19 teve teste inconclusivo

Se confirmado, o caso seria o primeiro oficialmente reconhecido por autoridades norte-coreanas, embora a mídia reafirme que nenhuma infecção foi relatada no país até agora.

Incêndios florestais no DF
Geral

Defesa Civil reconhece situação de emergência em municípios de MS

Medida publicada hoje em portaria no Diário Oficial da União inclui os municípios de Corumbá e Ladário. Incêndios florestais atingem algumas regiões de Mato Grosso do Sul.