Presidente da Câmara dos EUA diz que sanções contra a Rússia estão “atrasadas”

Publicado em 30/12/2016 - 16:19 Por Da Agência Xinhua - Washington

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, reúne-se com o atual presidente, Barack Obama (Agência Lusa/Direitos Reservados)

A oposição da liderança republicana tornará mais difícil para o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, desfazer as sanções contra a Rússia adotadas pelo atual presidente Barack Obama Agência Lusa/EPA/Michael Reynolds/Direitos Reservados

O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o líder republicano Paul Ryan, disse na quinta-feira (29) que as sanções contra a Rússia adotadas recentemente pelos EUA estavam “atrasadas”. As informações são da agência de notícias chinesa Xinhua.

As declarações foram feitas depois que o presidente Barack Obama, revelou uma sanção destinada a entidades e indivíduos russos, incluindo a expulsão de 35 diplomatas russos nos Estados Unidos.

Ryan disse que além de atrasada, a ação era "uma maneira apropriada de terminar oito anos de falhas na política com a Rússia e serve como exemplo principal da ineficiência da administração da política externa que deixou a América mais fraca nos olhos do mundo. A Rússia não compartilha os interesses dos Estados Unidos, e, de fato, tem buscado enfraquecê-los, semeando uma instabilidade perigosa em todo o mundo", enfatizou o republicano.

O Departamento de Segurança Interna e a Agência Federal de Investigação (FBI) dos EUA também divulgaram um relatório conjunto na quinta-feira acusando a Rússia de ser a responsável pelos ataques cibernéticos e vazamentos contra o Partido Democrata e a candidata Hillary Clinton durante as recentes eleições presidenciais .

Lindsey Graham, outro parlamentar republicano sênior, disse na quarta-feira que "as sanções bipartidárias... baterão duro na Rússia, particularmente em Putin como um indivíduo."

A retórica anti-Rússia entre a liderança republicana é um grande obstáculo para o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, reverter a política externa entre os EUA e Moscou, como o magnata sugeriu recentemente em tweets defendendo a Rússia.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
A cúpula  maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.
Política

Câmara aprova MP amplia uso de assinatura eletrônica

Objetivo da MP é facilitar o uso de documento assinados digitalmente para ampliar o acesso a serviços públicos digitais. Texto segue para o Senado.

la bombonera, estádio do boca juniors
Esportes

Equipes do futebol argentino voltam a treinos presenciais

Após paralisação de cinco meses causada pela pandemia de coronavírus, 16 das 25 equipes da primeira divisão do país sul-americano retornaram às atividades presenciais.

Programa de Incentivo à Cabotagem, BR do Mar,
Geral

Programa de incentivo marítimo BR do Mar é entregue ao Congresso

O governo entregou hoje o projeto de lei BR do Mar - iniciativa que visa expandir o tráfego marítimo de mercadorias em todo o território nacional.

 

cruzeiro guarani
Esportes

Série B: Cruzeiro vence Guarani por 3 a 2 fora de casa

Segunda rodada também teve triunfos de Juventude, Paraná e Botafogo SP, além do empate entre Brasil de Pelotas e Ponte Preta.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Geral

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 12,5 milhões

A quina teve 16 acertadores e cada um vai receber R$ 81.484,20. Os 1.545 ganhadores da quadra receberão o prêmio individual de R$ 1.205,49.

 Esculturas de musas na fachada do prédio da sede do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, zona norte da cidade
Geral

Alerj autoriza repasse de verbas para obras no Museu Nacional

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro autorizou o repasse de verbas complementares para a reconstrução do Museu Nacional, destruído por um incêndio em 2018.