Guarda espanhola prende organizadores de referendo de independência na Catalunha

Publicado em 20/09/2017 - 10:35 Por Da EFE - Barcelona

Guardas civis com caixas deixam edifício e encontram manifestação a favor da realização do referendo

Cidadãos catalães protestam contra ação da Guarda Civil espanhola nos órgãos públicos, para apreensão de documentos contra a realização de referendo separatistaMarta Perez/ EFE

A Guarda Civil espanhola deteve 14 pessoas hoje (20), entre elas vários altos cargos do governo regional da Catalunha, em uma operação para impedir a realização do referendo de independência do dia 1º de outubro, suspenso pelo Tribunal Constitucional.

De acordo a agência EFE, entre os detidos se encontram o número dois da Secretaria de Economia, Josep Maria Jové, o secretário de Fazenda, Lluís Salvadó, e responsáveis pelas pastas de Telecomunicações e Assuntos Sociais.

A ação envolveu a realização de buscas em 22 órgãos públicos catalães, entre eles as secretarias de Economia, Relações Exteriores e Trabalho e Assuntos Sociais, e em empresas.

Cidadãos protestaram em frente aos órgãos públicos da Catalunha contra a ação da Guarda Civil.

Confisco de cédulas

A Guarda Civil confiscou de 6 a 9 milhões de cédulas de votação para o referendo separatista em um armazém industrial próximo à cidade de Barcelona. O depósito pertence a um empresário chamado Pau Furriol Fornells, também preso hoje.

Nos dias anteriores, os agentes confiscaram milhares de cartas convocando mesários e material de propaganda para divulgar o referendo. Também foram tirados do ar, por ordem judicial, os sites criados pelas autoridades catalãs para informar sobre a consulta.

Posicionamento do governo local

O presidente do governo regional da Catalunha, Cales Puigdemont, chamou hoje os cidadãos a votarem no referendo como resposta ao Executivo espanhol, a quem acusa de "aplicar de fato um estado exceção".

Puigdemont convocou de forma urgente seu gabinete após saber da ação da Guarda Civil. Em pronunciamento à imprensa, o líder catalão criticou o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy pela sua atitude contrária à consulta.

O referendo foi suspenso cautelarmente pelo Tribunal Constitucional pela falta de aprofundamento em relação à sua adequação ou não ao marco jurídico espanhol.

A Catalunha tem uma população de 7,5 milhões de habitantes. Em uma tentativa de consulta similar, que aconteceu em novembro de 2014 sem valor legal, participaram quase 2,3 milhões de pessoas.

*Matéria ampliada às 11h

Edição: -

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias