EUA mantêm posição de uma Espanha unida frente à independência da Catalunha

Publicado em 10/10/2017 - 18:34 Por Da Agência EFE - Washington

A Casa Branca indicou nesta terça-feira (10) que tem a mesma posição sobre a Catalunha expressa há duas semanas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que disse que a Espanha é "um grande país" que "deveria permanecer unido", e evitou se pronunciar sobre se deve haver diálogo entre as partes ou mediação internacional na questão da independência regional.  A informação é da EFE.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, se referiu hoje ao tema pouco depois de o presidente do governo da Catalunha, Carles Puigdemont, declarar que essa região espanhola ganhou o direito à independência, mas suspender os efeitos dessa declaração para abrir um processo de diálogo com o governo espanhol.

"A nossa posição não mudou" a respeito do que expressou Trump ao receber o chefe do governo espanhol Mariano Rajoy na Casa Branca em 26 de setembro, disse Sarah em sua entrevista coletiva diária. Ela afirmou que os EUA estão dispostos a manter "conversações" com o governo de Rajoy, mas não esclareceu em que consistiriam esses contatos e tampouco contemplou a possibilidade de uma mediação internacional ou um maior diálogo entre as partes.

"Isso é algo que os povos da Espanha e da Catalunha têm que decidir", respondeu Sarah ao ser perguntada sobre se os EUA estão dispostos a dialogar com o governo espanhol e com os líderes catalães. Durante a visita de Rajoy em setembro, Trump disse acreditar “que as pessoas da Catalunha ficarão na Espanha, e acredito que seria uma tolice não fazê-lo".

O presidente regional catalão disse hoje no Parlamento regional que "assumia" a vontade "do povo da Catalunha de ser um Estado independente", para em seguida propor deixar em suspenso a declaração de independência durante várias semanas para iniciar um diálogo e pediu ao governo espanhol que aceite uma mediação.

Fontes do governo da Espanha disseram depois à Agência EFE que não é admissível "fazer uma declaração implícita de independência para depois deixá-la em suspenso de maneira explícita", e que tampouco se pode dar como válida a contagem do referendo "fraudulento e ilegal" de 1º de outubro.

* É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados.

Edição: -

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias