Campanha pelo "não" ao aborto na Irlanda admite derrota em referendo

Publicado em 26/05/2018 - 09:00 Por Agência EFE - Dublin

A campanha do "não" à reforma da lei do aborto admitiu, neste sábado (26), a derrota no referendo realizado ontem, ao afirmar que o "sim" dos eleitores irlandeses "é uma tragédia de proporções históricas".

"O aborto era ruim ontem e segue sendo ruim hoje", declarou em comunicado Cora Sherlock, porta-voz da plataforma pró-vvida Save the Eighth, uns dos grupos mais visíveis durante a campanha dessa consulta.

Embora ainda não haja resultados oficiais, duas pesquisas feitas pela emissora pública RTE e o jornal Irish Times mostraram que o "sim" obteve cerca de 69% e 68%, números consideravelmente mais altos do que o esperado.

A ativista garantiu que seus integrantes se oporão à reforma da lei, proposta pelo governo do partido democrata-cristão Fine Gael, que poderia abrir a porta ao interrompimento de gestações sem restrições durante as primeiras 12 semanas e, em exceções, até as 24.

"É um dia muito triste para a Irlanda porque o povo votou a favor do aborto", disse Sherlock, enquanto continua hoje a apuração de votos do referendo.

O ministro de Saúde, Simon Harris, um dos principais defensores da mudança, disse que "hoje é um dia emocionante" para ele e para todas as mulheres do país que sofrem, sozinhas ou com seus companheiros, "crises durante a gestação".

"Ao invés de dizemos para pegar uma embarcação, agora damos as mãos e dizemos que cuidaremos delas", destacou Harris, em referência às milhares de mulheres do país que viajam todos os anos para o exterior para abortar, devido às restrições da legislação vigente, uma das mais duras da Europa.

O governo tinha pedido aos cidadãos que se pronunciassem sobre a eliminação da chamada "8ª emenda", incluída em 1983 na Constituição, que garante da mesma maneira o direito à vida do "não nascido" e da mãe.

De acordo com essa previsão, a lei promulgada em 2013, a primeira na história da Irlanda, só permite a interrupção da gravidez em circunstâncias excepcionais e prevê, além disso, penas de prisão de até 14 anos para as mulheres e os profissionais da saúde que façam esses procedimentos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live da Semana - Presidente Jair Bolsonaro - 06/08/2020
Política

Pazuello diz que estados estão mais preparados para enfrentar pandemia

Ministro interino da Saúde participou de live ao lado do presidente. Mudança de protocolo do ministério foi um dos fatores que deixou estados mais preparados.

A cúpula  maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.
Política

Senado aprova redução de prazos para revalidação de diplomas

O PL prevê a revalidação em prazo entre 30 e 60 dias no caso de instituições estrangeiras reconhecidas pelo Ministério da Educação e contam com um processo simplificado. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

Justiça suspende retorno das aulas presenciais na rede privada do DF

A retomada foi autorizada na terça-feira pela primeira instância após outra decisão que a proibiu. Algumas escolas chegaram a retomar as atividades nesta quinta-feira.

Saúde

Ministério da Saúde monitora síndrome em crianças associada à covid-19

Síndrome inflamatória multissistêmica ocorre em crianças de 7 meses a 16 anos. Até agora, foram notificados 71 casos no Brasil e registradas três mortes.

Incêndio no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Divulgação/Parnaso)
Geral

Bombeiros combatem fogo na Serra dos Órgãos pelo terceiro dia seguido

Criado em 1939, o Parnaso é o terceiro parque mais antigo do país e costuma ser procurado para prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada e rapel.

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, apresenta a versão digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVe).
Justiça

Preso pela PF, Baldy pede licença de cargo de secretário

Em nota, governo estadual destaca competência e postura idônea de Alexandre Baldy e informa que o secretário executivo Paulo Galli comandará temporariamente a pasta.