Grécia: incêndios florestais deixam pelo menos 74 mortos e 187 feridos

Publicado em 24/07/2018 - 17:11 Por Agência EFE - Atenas

O número de mortes provocadas pelos incêndios devastadores que assolaram o litoral grego, a nordeste da capital Atenas, subiu para 74, enquanto o de feridos chega a 187, segundo as últimas informações divulgadas nesta terça-feira (24) pelo corpo de bombeiros do país.

De acordo com a porta-voz do serviço dos bombeiros, Stavrula Mallidi, todas as vítimas foram encontradas na cidade de Mati, que fica a cerca de 30 quilômetros de Atenas. Entre os 187 feridos, 23 são menores de idade, acrescentou a fonte.

Os primeiros 47 corpos resgatados foram transferidos para o Instituto Médico Legal (IML) de Sjistó, próximo a Atenas, para identificação.

As autoridades não descartam que o número de vítimas possa aumentar, já que há dezenas de imóveis incendiados que os bombeiros não conseguiram acessar por causa das altas temperaturas.

Incêndio, Grécia
 REUTERS/Costas Baltas
Número de mortes já chega a 74 - Costas Baltas/Reuters/Direitos reservados

A maioria das vítimas morreu dentro de suas casas ou em seus veículos, que se transformaram em um "campo de fogo" devido à rápida propagação das chamas.

Um dos momentos mais dramáticos do dia foi a descoberta de um grupo de 24 pessoas, entre elas várias crianças, carbonizadas e abraçadas umas às outras em um descampado situado entre dois complexos de casas na pequena cidade de Mati.

Muitas pessoas conseguiram se salvar lançando-se ao mar em botes e embarcações. Mais de 700 pessoas foram resgatadas pela guarda costeira nas praias próximas ao porto de Rafina, e 19 diretamente no mar, enquanto outras morreram afogadas quando tentavam fugir do fogo.

O governo ofereceu um primeiro pacote de ajuda imediata de 20 milhões de euros procedentes do Programa de Investimento Público, para cobrir a necessidade dos atingidos nas áreas mais afetadas pelos incêndios.

Apesar da ajuda internacional e da mobilização de centenas de bombeiros e de vários veículos terrestres e aéreos, os dois grandes focos que assolam desde ontem a região de Ática, que engloba a capital, ainda não foram apagados.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras declarou três dias de luto e prometeu que "ninguém ficará sem ajuda" e que está utilizando todos os meios disponíveis para enfrentar esta situação de emergência.

Últimas notícias