Battisti é preso na Bolívia e pode ser extraditado a qualquer momento

Publicado em 13/01/2019 - 08:29 Por Agência Brasil * - Brasília

O italiano Cesare Battisti, de 64 anos, cuja extradição foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 13 de dezembro do ano passado, foi capturado na Bolívia. De acordo com as autoridades da Itália, a detenção foi possível pela parceria entre investigadores italianos e bolivianos. Ele caminhava tranquilamente pela rua e usava uma barba falsa.

Battisti estava em Santa Cruz de La Sierra, uma das principais cidades da Bolívia, e foi capturado por volta das 17h deste sábado (12). Segundo relatos, ele não tentou escapar. Questionado pelos policiais, respondeu em português. O italiano usava calça azul e camiseta, óculos escuros e barba falsa.

As autoridades avaliam se a extradição para a Itália será feita diretamente da Bolívia ou se Battisti será enviado para o Brasil e, assim ser encaminhado para a Europa. Há uma aeronave do governo italiano com agentes da Aise, a agência de inteligência do país, aguardando orientações, em território boliviano.

Condenação

Condenado à prisão perpétua na Itália, Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista.

No Brasil desde 2004, o italiano foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, aceita pelo STF. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pela Suprema Corte.

O presidente Jair Bolsonaro, mesmo antes de empossado, defendia a extradição de Battisti. Nos últimos dias do governo Michel Temer, houve a decisão do STF. Após dias de buscas, a Polícia Federal divulgou 20 simulações sobre a possível aparência do italiano.

* Com informações da RAI, emissora pública de televisão da Itália.

 

Edição: Fernando Fraga

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Violência doméstica violência contra a mulher
Geral

SP: boletins eletrônicos de violência doméstica chegam a 5,5 mil

Número representa cerca de 20% do total de boletins deste tipo de crime elaborados no período. Registro eletrônico de violência doméstica começou em 3 de abril.

Palácio do Planalto
Política

Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas

O Projeto de Lei Complementar 9/2020 autoriza a extinção de créditos tributários devidos pelas micro e pequenas empresas integrantes do Simples Nacional.

Testes para detecção do Covid-19
Saúde

Número de mortes por covid-19 cai 7% em uma semana

Segundo o Ministério da Saúde, houve redução de óbitos em 15 estados, entre eles Roraima, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Apostadores fazem fila em casa lotérica. A Caixa Econômica Federal sorteia hoje (08) as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena acumulada, que deve pagar um prêmio de R$ 170 milhões.
Geral

Mega-Sena acumula; prêmio vai a R$ 6,5 milhões

A quina teve 28 acertadores e cada um vai receber R$  56.321,66. As 1.649 apostas ganhadoras da quadra terão o prêmio individual de R$ 1.366,20.

Geral

Itapevi: laudo descarta culpa de local que fez marmitas envenenadas

Polícia ainda investiga a morte por envenenamento de dois homens em situação de rua que consumiram a refeição recebidas por doação quando estavam em um posto de combustíveis.

Fumaça sobe após uma explosão na região portuária  de Beirute
Internacional

“O prédio tremeu, o chão subiu”, diz brasileira no Líbano

Ela mora em um bairro a 15 minutos da região portuária onde ocorreu a explosão e conta que foi “como uma onda de energia e calor inundasse tudo aqui”.