Europol desmantela rede online do grupo Estado Islâmico

Suspeitos foram detidos na Espanha

Publicado em 14/06/2024 - 13:19 Por Lusa* - Haia

Uma operação internacional, envolvendo países europeus e os Estados Unidos, desmantelou "infraestrutura crítica na internet e interrompeu plataformas de comunicação ligadas ao grupo terrorista Estado Islâmico, além de deter nove suspeitos na Espanha, anunciou nesta sexta-feira (14) a Europol.

Segundo a agência policial europeia, os servidores suportavam múltiplos meios de comunicação ligados ao grupo terrorista Estado Islâmico e eram utilizados para difundir propaganda jihadista e mensagens que incitavam ao terrorismo.

"Os sites web e os canais de comunicação, como estações de rádio, uma agência noticiosa e conteúdos das redes sociais, tinham alcance global. Comunicavam orientações e slogans da organização em mais de 30 línguas, incluindo espanhol, árabe, inglês, francês, alemão, dinamarquês, turco, russo, indonésio e pastó (Afeganistão). Foram descobertos vários terabytes de informação", afirmou a Europol.

As investigações sobre organizações terroristas na internet, lançadas pela Guarda Civil espanhola em 2022, levaram a informações sobre comunicações mediáticas ligadas à Fundação I'LAM, que operava novas e sofisticadas infraestruturas tecnológicas alojadas nos servidores desmantelados esta semana durante a operação.

"As operações conjuntas desta semana fazem parte dos esforços em curso e da vigilância constante para combater a propaganda e as comunicações terroristas online, especialmente por meio das redes sociais. As operações visaram os principais instrumentos e nós de difusão de mensagens radicais centrados na Fundação I'LAM, que criou, explorou ou apoiou sites Web e outros canais de comunicação ligados à organização terrorista", acrescentou a Europol.

A apreensão de servidores na Alemanha, nos Países Baixos, nos Estados Unidos e na Islândia foi iniciada pelas autoridades espanholas e coordenada pela Eurojust (Agência da União Europeia para a Cooperação Judiciária Penal) a partir da sua sede em Haia.

A operação foi apelidada de Almuasasa (em árabe, a empresa).

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Últimas notícias