TJ nega liberdade a suspeito de construir prédios irregulares no Rio

Desabamento de edifícios na Muzema matou 24 pessoas

Publicado em 22/05/2020 - 19:54 Por Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

A Oitava Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou pedido de habeas corpus de Rafael Gomes da Costa, um dos suspeitos de construir e vender prédios irregulares na Muzema, em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade. No dia 12 de  abril de 2019, dois prédios no Condomínio Figueiras do Itanhangá, construídos sem nenhum cálculo estrutural desabaram, matando 24 moradores.

A defesa do réu afirma que falta fundamentação legal na prisão preventiva dele e que seu estado de saúde inspira cuidados, por causa da covid- 19. Segundo a defesa, Rafael é diabético e hipertenso, o que o inclui no grupo de risco do novo coronavírus, causador da covid-19.

No entanto, os advogados de Rafael não anexaram laudo médico atestandoo o estado de vulnerabilidade do cliente. Os desembargadores também consideraram que Rafael recebe acompanhamento médico na prisão desde julho de 2019 e que o laudo atesta que ele está “afebril e com sinais vitais estáveis”.

Segundo o relator do processo, desembargador Claudio Tavares de Oliveira Junior, a denúncia é clara na exposição dos fatos. "Os crimes foram praticados por motivo torpe, eis que os denunciados construíram os imóveis residenciais de mais de cinco andares, deliberadamente, sem cumprirem as exigências legais, bem como deixaram de efetuar os reparos necessários para impedir a tragédia, pois ignoraram o alerta dos moradores quando às falhas apresentadas nas edificações, almejando, tão somente, a obtenção de vantagens financeiras e detrimento de vidas humanas", diz o relator na decisão.

Entenda o caso

A Justiça decretou, no dia 16 de julho do ano passado, a prisão preventiva de José Bezerra de Lira, Rafael Gomes da Costa e Renato Siqueira Ribeiro pelos crimes de homicídio doloso qualificado, por 24 vezes, lesão corporal, por três vezes, e desabamento, em razão do desabamento de dois prédios residenciais no Condomínio Figueiras do Itanhangá, no qual morreram 24 pessoas.

A denúncia foi apresentada pelo Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente do Ministério Público estadual no dia 15 de julho e a decisão foi proferida pela juíza Ariadne Villela Lopes, do 1º Tribunal do Júri da Comarca da Capital. Na investigação, conduzida pela 16ª Delegacia de Polícia, foram ouvidas diversas testemunhas, entre as quais, moradores da localidade e sobreviventes da tragédia. 

Os depoimentos apontam os denunciados José Bezerra de Lira e Rafael Gomes da Costa como os responsáveis pelas construções que desabaram e Renato Siqueira Ribeiro como o principal vendedor das unidades imobiliárias. Rafael e Renato estão presos com a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Fumaça sobe após uma explosão na região portuária  de Beirute
Internacional

“O prédio tremeu, o chão subiu”, diz brasileira no Líbano

Ela mora em um bairro a 15 minutos da região portuária onde ocorreu a explosão e conta que foi “como uma onda de energia e calor inundasse tudo aqui”.

Sessão Deliberativa Remota destinada a deliberar sobre o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 88/2020, que reconhece o estado de calamidade pública no Brasil.
Política

Senado aprova uso do salário-educação para pagamento de pessoal

O Senado Federal aprovou hoje, por votação remota, uma medida que permite uso de recursos especiais para pagamento de folha em caráter excepcional durante a pandemia. 

Saúde

Morre liderança indígena do Alto Xingu

Cacique Aritana Yawalapiti morreu por causa da covid-19, após ficar internado por 15 dias. Aritana  tinha influência em todas as etnias do Alto Xingu.

Moradores de Águas Claras enfrentam filas enormes para teste do Covid-19 no estacionamento do Centro Universitário Euroamericano (Unieuro).
Saúde

Vereadores do Rio aprovam testagem de covid-19 em escolas

Além da testagem regular para covid-19 em alunos e profissionais de educação, o projeto prevê aferição diária de temperatura de todos nas escolas do município.

Profissional de saúde realiza teste para o novo coronavírus em Brasília
Saúde

Covid-19: Brasil tem 97.256 óbitos e 2,02 milhões de recuperados

Desde o início da pandemia, 2.859.073 de brasileiros contraíram o novo coronavírus, 2.020.637 se recuperaram, 97.256 morreram e 741.180 estão em acompanhamento.

Washington Nunes, handebol, seleção
Esportes

Handebol: Confederação recontrata técnico demitido há um ano

Washington Nunes saiu da seleção masculina após terceiro lugar nos Jogos Pan-americanos de Lima, em 2019.