Julgamento do mensalão foi marco no processo penal, avalia Barroso

Publicado em 13/03/2014 - 17:38 Por André Richter - Repórter da Agência Brasil - Brasília

 

Brasília - STF retoma julgamento dos embargos infringentes de condenados na Ação Penal (AP) 470, o mensalão. Na foto, os ministros Dias Tofolli, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso (José Cruz/Agência Brasil)

O ministro Luís Roberto Barroso, durante sessão de julgamento de recursosJosé Cruz/Agência Brasil

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou hoje (13) que o julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão, foi um "marco no processo penal brasileiro”. As declarações do ministro foram dadas após o fim da última sessão de julgamento dos recursos do processo.

Barroso disse que espera mudanças no sistema político após as condenações de ex-dirigentes de partidos políticos. “Foi um rito de passagem e espero que, com o saldo do mensalão, se produzam transformações na politica. É preciso diminuir o papel do dinheiro, atrair novas vocações, é preciso criar um sentimento mais amplo de respeito à ordem jurídica, de respeito ao outro.”

Na última sessão de julgamento dos embargos infringentes, o STF absolveu João Paulo Cunha, ex-deputado federal, e João Cláudio Genu, ex-assessor do PP, da condenação por lavagem de dinheiro. Os ministros mantiveram  a pena de Breno Fischberg, ex-sócio da Corretora de Valores Bonus Banval.

Com as absolvições, o julgamento do processo termina com 24 condenados, após 69 sessões de julgamento, realizadas desde 2012.

Edição: Juliana Andrade

Últimas notícias