PT votará a favor do ajuste fiscal

Publicado em 06/05/2015 - 15:29 Por Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O PT atendeu aos pedidos do PMDB e de outros partidos da base aliada e vai formalizar a posição favorável ao ajuste fiscal proposto pelo governo. Depois de três horas de reunião, a portas fechadas, em clima de intenso debate, o líder do partido, Sibá Machado (AC), reafirmou a decisão anunciada ontem (5), depois de um dia inteiro de convencimento da bancada.

“Para nós é pura simbologia. Não precisava, porque [quando uma] decisão [é] tomada não se volta a palavra. Mas como é uma palavra que importa muito e era bom para nossa bancada estar com quórum maior agora, vamos, publicamente, com questão fechada”, afirmou.

A liderança do PT na Câmara vai publicar uma nota oficializando a decisão. Com isso, Sibá Machado devolveu a cobrança aos demais aliados. “O que mais nos interessa é voto dos companheiros [do PT] integralmente no plenário. Agora queremos isso também dos demais partidos da bancada do governo. É uma cobrança que minha bancada faz”, explicou.

O esforço do partido do governo para alcançar unanimidade foi uma resposta à cobrança que líderes de partidos aliados reiteraram na manhã de hoje, durante reunião no Palácio do Jaburu com o vice-presidente, Michel Temer, que tentou buscar uma solução para a aprovação da matéria.

No encontro, o líder do PMDB, Leonardo Picciani, encabeçou a cobrança para que o PT se manifestasse sobre o ajuste fiscal. Picciane explicou que a questão não era mais sobre o mérito do texto, mas sobre um convencimento. Ele destacou o pronunciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um programa do partido na TV com crítica a aprovação do projeto de lei da terceirização.

A expectativa é que o ajuste fiscal, que estava pautado para a sessão extraordinária de meio-dia, seja apreciado agora à tarde pelo plenário da Câmara.

Edição: Beto Coura

Últimas notícias