Polícia do Paraná investiga ataque à caravana do ex-presidente Lula

Publicado em 28/03/2018 - 15:22 Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil - Brasília

Um inquérito policial foi aberto para investigar o ataque à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Paraná, duas equipes do Centro de Operações Policiais Especiais foram enviadas à cidade de Laranjeiras do Sul para as investigações.

Dois ônibus foram atingidos ontem (27) por pelo menos três tiros quando a caravana estava na estrada fazendo o trajeto entre as cidades de Quedas do Iguaçú e Laranjeiras do Sul, no Paraná. Um dos veículos que recebeu disparos estava com profissionais de imprensa que acompanham o grupo e outro levava convidados. O ex-presidente Lula não estava nos veículos atingidos. Ninguém ficou ferido.

De acordo com a SSP, o Instituto de Criminalística do estado está finalizando a perícia nos ônibus. A previsão é que o laudo fique pronto nos próximos dias. O órgão informou que a Polícia Militar estadual “reforçou o policiamento em todos os locais indicados pelos representantes da caravana, onde seriam feitas as manifestações com a presença do ex-presidente”.

Reação

Em uma de suas contas na rede social Twitter, o ex-presidente afirmou que ações como esta não vão intimidá-lo. “Se eles acham que fazendo isso vão nos assustar, estão enganados. Vai nos motivar. Não podemos permitir que depois do nazismo esses grupos fascistas possam fazer o quiser. Se querem brigar, briguem comigo nas urnas. Mas vamos respeitar a democracia, a convivência na diversidade”, afirmou.

A assessoria da caravana encaminhou à Agência Brasil ofício enviado à Secretaria de Segurança Pública no dia 14 de março no qual solicita " apoio de medidas que possam garantir a segurança e a tranquilidade desses eventos", com o roteiro em anexo ao documento.

Também pelo Twitter, o ex-presidente reclamou do estado do Paraná não ter fornecido escolta policial aos ônibus da caravana. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, não houve solicitação neste sentido por parte da caravana.

Governo

O Ministério da Segurança Pública informou por meio de sua assessoria que a Polícia Rodoviária Federal está fazendo a orientação de trânsito, mas que a garantia de segurança cabe à polícia do estado do Paraná.

Ontem (27), o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou em conversa com a imprensa que está em contato com a Polícia Rodoviária Federal. “Não podemos admitir confrontos. Isso é absolutamente antidemocrático e é preciso ter respeito. Tem que se identificar os responsáveis pois isso não pode se permitir dentro do regime democrático”, disse.

Repercussão

Em entrevista hoje (28), o presidente Michel Temer disse que esse tipo de atitude é “uma pena” e cria um “clima de instabilidade no país”“É uma pena que tenha acontecido isso porque vai criando um clima de instabilidade no país, de falta de pacificação que e indispensável no presente momento", disse.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), condenou a violência. “É gravíssimo o que aconteceu ao ex-presidente Lula, não apenas o ataque a tiros contra o ônibus, que foi o ponto final de alguns dias de absurdos, uma tentativa de inviabilizar a mobilização do ex-presidente”.

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que a tentativa de parar Lula é “inaceitável”. “Não estamos mais nos anos 50 do século passado, ou na ditadura militar, quando a eliminação física de adversários políticos era uma constante no Brasil e na América Latina. Essa prática não pode ser tolerada”.

Ministério Público

O Ministério Público do Paraná vai apurar os atos de violência contra a caravana do ex-presidente Lula. A iniciativa foi motivada por uma representação do Coletivo Advogados e Advogadas pela Democracia, entidade formada por profissionais do meio jurídico. O grupo entregou ao procurador Olympio de Sá Sotto Maior Neto, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção aos Direitos Humanos do MP do estado, um relatório contendo notícias de crimes que estariam sendo cometidos contra a caravana. O MP também vai acompanhar o inquérito civil que investiga o ataque.

* Texto alterado às 16h45 para acrescentar posicionamento do Ministério Público

Edição: Valéria Aguiar e Carolina Pimentel

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
A cúpula  maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.
Política

Câmara aprova MP amplia uso de assinatura eletrônica

Objetivo da MP é facilitar o uso de documento assinados digitalmente para ampliar o acesso a serviços públicos digitais. Texto segue para o Senado.

la bombonera, estádio do boca juniors
Esportes

Equipes do futebol argentino voltam a treinos presenciais

Após paralisação de cinco meses causada pela pandemia de coronavírus, 16 das 25 equipes da primeira divisão do país sul-americano retornaram às atividades presenciais.

Programa de Incentivo à Cabotagem, BR do Mar,
Geral

Programa de incentivo marítimo BR do Mar é entregue ao Congresso

O governo entregou hoje o projeto de lei BR do Mar - iniciativa que visa expandir o tráfego marítimo de mercadorias em todo o território nacional.

 

cruzeiro guarani
Esportes

Série B: Cruzeiro vence Guarani por 3 a 2 fora de casa

Segunda rodada também teve triunfos de Juventude, Paraná e Botafogo SP, além do empate entre Brasil de Pelotas e Ponte Preta.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Geral

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 12,5 milhões

A quina teve 16 acertadores e cada um vai receber R$ 81.484,20. Os 1.545 ganhadores da quadra receberão o prêmio individual de R$ 1.205,49.

 Esculturas de musas na fachada do prédio da sede do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, zona norte da cidade
Geral

Alerj autoriza repasse de verbas para obras no Museu Nacional

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro autorizou o repasse de verbas complementares para a reconstrução do Museu Nacional, destruído por um incêndio em 2018.