Simpatizantes de Haddad fazem ato em Brasília

Publicado em 27/10/2018 - 12:43 Por Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil - Brasília
Atualizado em 27/10/2018 - 15:57

Simpatizantes do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, fizeram hoje (27) um ato em favor do petista, em Ceilândia, no Distrito Federal, a 30 quilômetros do centro de Brasília.

A pé, com bandeiras vermelhas, os simpatizantes abordavam quem passava pelo centro da maior região administrativa do DF. Os manifestantes tocavam jingles de campanha e ocupavam a faixa de pedestres quando o semáforo fechava.

O ato intitulado Caminhada da Virada na Ceilândia foi convocado pelas redes sociais. Também há manifestações, caminhadas e bicicletadas em cidades do Ceará, de Pernambuco e de São Paulo.

Apoiadores do candidato à Presidência da República, Fernando Haddad fazem caminhada no centro de Ceilândia.
Apoiadores do candidato Fernando Haddad fazem caminhada no centro de Ceilândia, no Distrito Federal - Marcelo Camargo/Agência Brasil

"Vira voto"

No Rio de Janeiro, um grupo formado majoritariamente por mulheres fez uma caminhada "vira voto" em favor de Fernando Haddad na região da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara), área de comércio popular no centro da cidade.

Com bandeiras e cartazes, distribuindo adesivos e panfletos e cantando jingles e palavras de ordem incentivando o voto no candidato do PT, o grupo, com cerca de 100 pessoas, seguiu pelas ruas estreitas da região conversando com os passantes.

A caminhada saiu por volta de 11h30 do cruzamento das ruas Buenos Aires e Regente Feijó, seguiu pela Rua da Alfândega e terminou 12h30 em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, na Rua Uruguaiana. Durante o percurso, houve manifestações tanto de clientes e quanto de lojistas favoráveis a Haddad e também a Jair Bolsonaro, candidato do PSL, mas não houve conflitos.

Convocadas pelo Facebook, houve ainda carreatas em apoio a Bolsonaro no Distrito Federal e em Minas Gerais, np Ceará e em Santa Catarina.

Texto ampliado às 15h57
 

* Colaborou Akemi Nitahara, do Rio de Janeiro

Edição: Fernando Fraga

Últimas notícias