Símbolo do Carnaval carioca, bloco Cacique de Ramos é atacado por usar fantasia de índio

Símbolo do Carnaval do RJ

Publicado em 19/02/2020 - 17:47 Por Tâmara Freire - Rio de Janeiro

A escolha da atriz Alessandra Negrini, que comandou o bloco Acadêmicos do Baixo Augusta no último domingo, em São Paulo, reacendeu uma polêmica que tem repercutido nas redes sociais nos últimos carnavais. Com um adereço na cabeça semelhante a um cocar e pinturas tradicionais indígenas pelo corpo, a atriz foi acusada de desrespeito por usar uma etnia como fantasia.


E a polêmica respingou em um dos mais tradicionais blocos do Rio de Janeiro, o Cacique de Ramos, que desfila desde a década de 60 com os integrantes vestidos com trajes de povos indígenas americanos e brasileiros.


A diretoria do Cacique chegou a emitir uma nota oficial dizendo que desconhece como a manifestação contra o bloco começou, mas que respeita o debate identitário. Apesar disso, defende que tem uma longa trajetória, iniciada por integrantes com nomes indígenas e ligados à umbanda, o que explica a homenagem aos caciques.


Além disso, o bloco alega que sua identidade visual traz uma miscelânea de referências, e que permanece como um polo de resistência no subúrbio do Rio, além ter escrito uma página importantíssima na cultura popular carioca.


Mesmo sem toda essa bagagem, a atriz Alessandra Negrini também foi defendida pela Associação dos Povos Indígenas do Brasil, que a chamou de aliada a serviço de uma causa urgente, já que a triz queria chamar a atenção para os possíveis retrocessos que podem vir de projetos que estão sendo discutidos no Congresso Nacional. De acordo com a associação, a pintura de Alessandra, inclusive, foi feita por um artista indígena.


O assunto também já mobilizou as instituições. No ano passado, a Defensoria Pública do Ceará publicou uma cartilha com diversas orientações sobre como se fantasiar sem ofender ninguém. Com a polêmica, o material voltou a circular na internet. Além de dizer que etnias como os povos indígenas e os ciganos não são fantasia, a campanha também defendeu que o hábito de pintar a pele de preto para se fantasiar de pessoas negras ou usar roupas femininas para se fantasiar de mulher ajudam a construir uma imagem depreciativa e estereotipada dessas pessoas.


Este ano, quem entrou nessa seara foi a prefeitura de Belo Horizonte. O Conselho Municipal de Igualdade Racial divulgou uma série de orientações para um carnaval sem racismo, condenando também o uso de perucas que imitem o cabelo crespo e canções famosas como Mulata Bossa Nova, que ressaltam a sexualidade da mulher negra.

Últimas notícias
Saúde

Vacinação contra a gripe será ampliada em todo país a partir de sábado

Toda a população, com pelo menos seis meses de idade, pode procurar um posto de saúde para receber a vacina contra a gripe.

Baixar arquivo
Esportes

Rádio Nacional transmite dois jogos neste fim de semana

Neste sábado (25), a partir das 19h, o Flamengo encara o América-MG em busca da reabilitação e de ficar mais distante do Z4. Neste domingo (26) é a vez do Clássico Vovô. A partir das 16h tem Botafogo e Fluminense.

Baixar arquivo
Saúde

Rio de Janeiro confirma transmissão local da Varíola dos Macacos

Os pacientes são dois homens que não têm histórico de viagem internacional ou contato com estrangeiros. Eles estão sendo monitorados e encontram-se em isolamento domiciliar.

Baixar arquivo
Educação

Provas da 2ª etapa do Revalida ocorrem neste final de semana

O processo permite que candidatos que se formaram no exterior no curso de medicina validem o diploma no Brasil para poderem exercer a profissão por aqui.

Baixar arquivo
Política

Vereador do Rio, Gabriel Monteiro, é denunciado por assédio sexual

Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o vereador carioca Gabriel Monteiro (PL) pelos crimes de importunação e assédio sexual. Segundo o MP, os crimes estão previstos no Código Penal e foram cometidos contra uma ex-assessora, de 26 anos.

Baixar arquivo
Esportes

Rio recebe competição de ciclismo do Tour de France

Depois de passar pelo interior paulista, com disputas na cidade de Cunha, o evento ganha agora sua oitava edição na capital fluminense.

Baixar arquivo