MPF e Defensoria emitem orientações para aborto em caso de estupro

Novo protocolo será adotado por profissionais do SUS

Publicado em 04/09/2020 - 19:02 Por Tatiana Alves - Rio de Janeiro

Profissionais do Sistema Único de Saúde do Rio de Janeiro deverão seguir orientações especiais para acolher e garantir atendimento efetivo às mulheres que queiram fazer aborto de forma legal, nos casos previstos em lei. O novo protocolo faz parte de uma recomendação do Ministério Público Federal e as Defensorias Públicas da União e do Estado, encaminhada  à Secretaria Municipal de Saúde da capital fluminense.

Os órgãos deixam claro que a comunicação compulsória às autoridades policiais, em caso de interrupção de gravidez em decorrência de estupro, não poderá impedir ou comprometer o atendimento à mulher.

E, mais: segundo o protocolo, essa comunicação deverá ser feita apenas para fins estatísticos, sem informações pessoais, exceto nos casos em que haja consentimento expresso da vítima para que o crime seja apurado pela polícia, como explica o procurador da república Alexandre Chaves.

 Outro ponto destacado pelo Ministério Público Federal e as Defensorias Públicas da União e do Estado exige que os profissionais de saúde conduzam os procedimentos dos casos de interrupção da gravidez sem qualquer tipo de julgamento da vítima, com total respeito à sua autonomia, acolhimento eficaz e garantia do atendimento médico.

 A recomendação também orienta que aos profissionais que se abstenham de oferecer às mulheres a possibilidade de ver o feto ou embrião por meio de ultrassonografia, tendo em vista tanto a falta de necessidade clínica de tal medida, quanto o seu potencial de violência psicológica e institucional contra a vítima. Outro ponto é a orientação dessas mulheres em relação aos riscos da interrupção da gravidez.

Além do Rio de Janeiro, os estados do Acre, Amazonas, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Sergipe, Tocantins e Bahia também expediram as mesmas recomendações.

Os casos de estupro não são os únicos cobertos pela lei para o aborto no país. Também não são qualificados como crime os procedimentos de interrupção da gravidez quando ela representa risco à vida da gestante e se o feto for anencefálico, ou seja, não possuir cérebro.


 


 

Edição: Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Apps de transporte dão desconto para quem for doar sangue no Hemorio

A partir desta segunda-feira até o dia 30 de abril, serão oferecidos descontos de até R$ 30 nas viagens que tiverem como destino o Instituto de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcante, no Rio de Janeiro.

Baixar arquivo
Economia

Maioria dos empresários acredita que situação nos negócios se agravou

Quase 52% dos empresários fluminenses ouvidos por uma pesquisa da Fecomércio acreditam que a situação dos seus negócios se agravou bastante nos últimos três meses. A proporção é mais que o dobro do apurado em março, quando 23,2% deles faziam essa avaliação.

Baixar arquivo
Geral

Novas regras do Código de Trânsito Brasileiro já estão valendo

Mudanças foram apresentadas nesta segunda pelo ministro da Infraestrutura.

Baixar arquivo
Saúde

AM: Consumo de açaí pode ser a causa de infecção por doença de Chagas

O consumo de açaí pode ser a causa recente de casos da doença de Chagas no interior do Amazonas. Três pessoas da mesma família, incluindo uma criança, contraíram a doença. A Fundação de Vigilância em Saúde do estado investiga os casos que podem ser um alerta para surto da doença.

Baixar arquivo
Política

Covid-19: prefeitos reclamam da falta de insumos hospitalares

A comissão temporária da covid-19 aprovou ainda a realização de uma audiência pública para buscar ajuda internacional para o Brasil. Devem ser convidados os embaixadores da China, da Índia, dos Estados Unidos e da Rússia.

Baixar arquivo
Saúde

No Rio a campanha de vacinação contra a gripe começa nesta quarta

A vacinação contra a gripe no Rio de Janeiro está prevista para começar nesta quarta-feira. No âmbito nacional, a campanha começou nesta segunda. Isso por que as 500 mil doses ainda estão sendo distribuídas e o governo do estado decidiu priorizar a  entrega das vacinas contra a covid-19.

Baixar arquivo