MPT vai abrir inquérito após encontrar 39 crianças trabalhando na BA

Flagrantes ocorreram em praias; 16 barracas foram notificadas

Publicado em sexta-feira, 19 Fevereiro, 2021 - 20:32 Por Gésio Passos - Brasília

O Ministério Público do Trabalho da Bahia anunciou que vai abrir inquéritos sobre flagrantes de trabalho infantil nas praias de Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari.

A investigação é baseada em fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho, que no último sábado, dia 13, afastou formalmente 39 crianças que estavam trabalhando, de forma irregular, nas praias da Bahia.

Auditores fiscais do trabalho notificaram 16 donos de barracas de praias. A fiscalização encontrou, por exemplo, uma criança de 7 anos vendendo cocadas enquanto os pais estavam sentados consumindo bebida alcoólica. Uma outra, de 8 anos, vendia amendoim sem uso de máscara de proteção contra Covid-19.

Os barraqueiros que empregavam os menores foram autuados administrativamente pelos auditores fiscais, e as crianças e adolescentes foram encaminhados à rede de proteção social das prefeituras.

Antônio Ferreira Inocêncio Neto, auditor fiscal do trabalho que coordenou a ação, afirma que é importante o acompanhamento social das crianças e das famílias.

O auditor fiscal explica que normalmente as crianças exploradas são conhecidas pelos contratantes, são parentes e até vizinhos. E a mão de obra de uma criança tem um valor muito baixo. Eles chegaram a encontrar jovens recebendo R$ 15 por dia de trabalho na praia.

A legislação brasileira proíbe que crianças e adolescentes menores de 18 anos trabalhem em lugares insalubres, a exemplo das praias, onde os menores ficam expostos ao sol.

Antônio Ferreira afirma que uma situação de desemprego e crise econômica leva ao aumento da exploração do trabalho infantil.

Pela lei, qualquer forma de trabalho é proibida até os 13 anos. Após os 14 é permitida a contratação como menor aprendiz por empresas. A partir dos 16, o adolescente pode ser contratado, desde que não seja para realizar trabalho noturno, insalubre e perigoso.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Economia

Prazo para prestar conta com o Leão começa nesta segunda-feira

Começa a correr nesta segunda-feira (01) o prazo para a apresentação das contas ao Leão. O contribuinte pode entregar a Declaração do Imposto de Renda até o dia 30 de abril e precisa ficar atento a algumas mudanças.

Baixar arquivo
Saúde

Dia Mundial da Doença Raras marca importância do diagnóstico

No dia em que se celebra o Dia Mundial da Doença Rara nós temos uma missão, identificar a complexidade dessa luta junto à entidades, órgãos governamentais e pacientes.

Baixar arquivo
Geral

Chuvas fortes causaram estragos em várias regiões do país em fevereiro

Fevereiro se despede com chuvas fortes que causaram estragos em várias regiões do Brasil. O mapa meteorológico do país durante o mês ficou todo marcado com as cores amarela, laranja e vermelha, em alerta de perigo por causa da quantidade de chuvas.

Baixar arquivo
Saúde

Novo decreto do governador do DF visa para diminuir aglomerações

O Distrito Federal entrou em lockdown neste domingo (28), valendo até o dia 15 de março. O novo decreto do governador Ibaneis Rocha, publicado nesse sábado, é para diminuir as aglomerações, já que faltam leitos hospitalares para covid-19.

Baixar arquivo
Economia

Postos de combustíveis vão receber dispositivo de certificação digital

Quem tem carro, moto ou caminhão sabe que as despesas com o combustível estão pesando cada vez mais no bolso.

Baixar arquivo
Geral

Pará entra no período de alta safra da pupunha e produção do palmito

Em época de alta safra da pupunha no Pará, especialista chama a atenção para mais investimentos neste mercado. 

Os detalhes com João Paulo Seabra Rádio Cultura FM de Belém. 

Baixar arquivo