Trocando em Miúdo: Entenda como será o Simples Doméstico

Publicado em 23/09/2015 - 02:00 Por Apresentação Eduardo Mamcasz - Brasília

Vem aí mais uma etapa para normalizar de vez o relacionamento profissional entre a patroa e o empregado doméstico. Trata-se do já aprovado, regulamentado e agora faltando pouco para ser usado. Estou falando do Simples Doméstico. 


Neste dia 2 de outubro deverá ser lançado, finalmente, o documento único de recolhimento de todas as obrigações trabalhistas dos domésticos e seus patrões.

 

Só lembrando: é empregado doméstico no sentido maior, não é só a empregada doméstica, como se diz. Por isso, envolve a babá, o motorista, o jardineiro, a passadeira, a cozinheira, a diarista acima de três vezes por semana e qualquer outro tipo de trabalho que possa ser chamado de doméstico.

 

Mais uma coisa: tem que ter a carteira assinada, lógico.


Então, vamos ver como vai ser este tal de Simples Doméstico. Hoje, o patrão paga INSS, a empregada paga o dela. E, se for seguir a atual lei, tem que pagar mais uma porção de coisas, em lugares diferentes, já viu o trabalho.

 

A partir de outubro, com o Simples Doméstico, fica tudo mais simples. Num lugar só, serão recolhidos, todo mês, o equivalente a 28% do salário da doméstica. Da doméstica, na verdade, vão ser só 8%. O patrão paga, junto com os 20%, do bolso dele, e depois desconta os 8% da empregada, se quiser.



Agora, a parte da patroa, ou patrão, neste Simples Doméstico. Tudo muito simples.

 

A patroa entra numa página da internet, que será divulgada, mas vai ser ligada à Caixa, responsável pelo recolhimento, Daí passa o valor do salário da empregada. O total a ser pago será calculado automaticamente e, logo em seguida, é gerado o boleto para ser pago na rede bancária.

 

O primeiro boleto vence no dia 7 de novembro, referente ao pagamento do mês de outubro. Alguma dúvida? Mande um email para emconta@ebc.com.br


Fechando a prosa, mais simples do que isso é difícil. De acordo com o que foi aprovado, o boleto único, o Simples Doméstico, depois de pago, será dividido assim: 8% para o INSS; 8% para o FGTS; 3,2% para o fundo de indenização em caso de demissão e 0,8% para seguro contra acidente.

 

O empregador terá de acrescentar mais 8%, da contribuição do trabalhador para o INSS, e descontar o valor do salário dele.


Então, tá.
Outro dia a gente repete todos os direitos que a pessoa empregada doméstica, com carteira assinada, tem, certo?
Obrigado pela boa companhia.
Inté e Axé.

 

Trocando em Miúdo: Programete sobre temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É publicado de segunda a sexta-feira

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Saúde

Anvisa autoriza testes com dose de reforço da vacina da Pfizer

Em nota, a Anvisa informou que o estudo deve avaliar o comportamento da vacina na terceira dose, e se há benefícios adicionais de uma eventual dose de reforço para além das que já estão sendo aplicadas.

Baixar arquivo
Geral

Entra em vigor lei sobre regras de reembolso de passagens aéreas

A legislação prevê o direito ao reembolso, ao crédito, à reacomodação ou à remarcação do voo, independentemente do meio de pagamento utilizado para a compra da passagem, se dinheiro, crédito, pontos ou milhas. 

Baixar arquivo
Cultura

Dia do Cinema Nacional: há 90 anos estreava o longa "Limite"

A data, 19 de junho, foi instituída pela Ancine por causa das primeiras imagens em movimento capturadas pelo italiano Afonso Segreto no Brasil em 1898

Baixar arquivo
Geral

Implementação de energias renováveis abre novas vagas de trabalho

Os desafios da transição energética e a busca por fontes de energia renováveis passam por processos de modernização no setor elétrico, com implicações no campo da educação.

Baixar arquivo
Cultura

Doação de 500 peças sagradas para Museu da República é oficializada

As peças eram capturadas durante invasões violentas por parte do estado, principalmente nas primeiras décadas da República, entre os anos de 1920 e 1930. Ainda que a Carta Constitucional de 1891 já estabelecesse no Brasil o Estado laico e a liberdade de crença e culto.

Baixar arquivo
Saúde

Vacina covid: Butantan e Fiocruz entregam mais de 7 milhões de doses

Nesta sexta-feira, O Instituto Butantan entregou ao Ministério da Saúde mais 2,2 milhões de doses da Coronavac para reforçar a campanha de vacinação contra a covid-19.

Baixar arquivo