Produção agrícola somou R$ 319,6 bilhões em 2017

Economia

Publicado em 13/09/2018 - 11:19 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

A produção agrícola do Brasil alcançou, em 2017, o valor de R$ 319,6 bilhões, uma queda de 0,6% em relação a 2016, quando as safras dos 64 produtos pesquisados renderam R$ 321,5 bilhões.


Em relação à área colhida houve um crescimento de 3,6%, chegando a 78,2 milhões de hectares, de um total de 79 milhões de hectares plantados.


Os dados da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) foram divulgados nesta quinta-feira (13), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Segundo o IBGE, as excelentes condições climáticas foram responsáveis por impulsionar várias lavouras, no ano passado, principalmente as de soja e milho, após as perdas em 2016, quando foram afetadas pela seca provocada pelo fenômeno climático El Niño.


O gerente de Agricultura do IBGE, Alfredo Guedes, explica que o crescimento da produção fez com que os preços recuassem em comparação a 2016, interrompendo uma trajetória de crescimento que já durava sete anos.


O valor da produção do milho caiu 12,7%, o feijão teve queda de 28,8% e o trigo diminuiu 41,9%, único produto prejudicado pelo clima.


A diminuição no valor da produção da batata inglesa chegou a 50,9%.


O gerente de Agricultura do IBGE destaca que a queda no preço dos produtos agrícolas ajudou a manter os níveis de inflação no ano passado.


A pesquisa mostra a concentração do valor de produção em poucas culturas. As dez principais culturas representam quase 85% de todo o valor gerado pela atividade.


As três principais culturas - soja, milho e cana de açúcar - representam mais de 62%. Só a soja, que continua sendo a principal cultura do país, assume uma fatia de 35% ou R$ 112 bilhões.


Em segundo lugar ficou a cana-de-açúcar, com 17%, seguido do milho, que representa 10% do total. O café tem 5,8% do valor da produção.


A Região Sudeste tem o maior valor da produção, com geração de R$ 91 bilhões, seguido pelo Centro-Oeste, com R$ 83,9 bilhões, em 2017.


O Centro-Oeste tem os dois municípios com maior valor de produção: Sorriso, que tem a soja como principal produto, e Sapezal, que produz principalmente algodão herbáceo.


O terceiro município em valor de produção é São Desidério, na Bahia, cujo principal produto também é a soja.


Em 2017, o milho foi a cultura que atingiu o maior número de municípios, seguido pela mandioca e o feijão.


Dos 5.570 municípios, apenas 14 não têm produção agrícola, entre os 64 produtos pesquisados pelo IBGE, sendo dez deles em São Paulo. Também não têm produção agrícola Recife e Fernando de Noronha, em Pernambuco; Vitória, no Espírito Santo, e Cabedelo, na Paraíba.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Governo vai expandir possibilidade de sinal de rádio FM

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, assinou nesta quinta-feira (13) uma portaria, junto com o presidente Jair Bolsonaro, para regularizar o serviço de retransmissão de rádio.

Baixar arquivo
Saúde

Rio registra aumento de leitos hospitalares pela 1ª vez em 10 anos

Após a perda de 16 mil leitos hospitalares, apenas entre 2011 e 2019, o Rio de Janeiro viu, em 2020, pela primeira vez, aumento no registro de vagas nas unidades de saúde.

Baixar arquivo
Política

Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Estudante do oitavo ano do ensino fundamental em Brasília, Arthur Cardoso relata os desafios que tem enfrentado desde que as escolas fecharam, por consequência da pandemia do novo coronavírus.
 

Baixar arquivo
Saúde

Planos de saúde devem cobrir teste rápido de Covid-19

Os planos de saúde são obrigados a cobrir os testes sorológicos para a Covid-19. A medida foi aprovada pela Diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por unanimidade, em reunião nesta quinta-feira (13).

Baixar arquivo
Economia

Governo lança aplicativo eSocial Doméstico para empregadores

A partir de agora o eSocial  tem aplicativo para celulares. Com a medida, empregadores poderão realizar registro do empregado e gerenciamento da folha de pagamento pelo celular.

Baixar arquivo
Política

Saúde diz que usou 48% dos recursos destinados ao combate à pandemia

O Ministério da Saúde gastou 48% dos recursos destinados exclusivamente para o combate à pandemia da Covid-19, informou o ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (13) no Congresso Nacional.

Baixar arquivo