Obras de infraestrutura perdem espaço na construção civil nos últimos 10 anos

Construção civil

Publicado em 27/05/2020 - 17:24 Por Cristiane Ribeiro - Rio de Janeiro

As obras de infraestrutura deixaram de ser o carro chefe na indústria da construção civil entre 2009 e 2018, com a participação caindo de 46,5% para 31,3%. Já o segmento de construção de edifícios cresceu de 39,5% para 45,5% nessa comparação, ocupando o primeiro lugar no ranking. Os serviços especializados para construção avançaram de 14% para 23,2% no período.

 

Os dados são da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC 2018), divulgada nesta quarta-feira (27) pelo IBGE.

 

A pesquisa destaca que em 10 anos o setor público perdeu representatividade como cliente da indústria da construção. A contratação de serviços passou de 43,2% em 2009 para 30,7% em 2018, sendo que a queda mais acentuada foi no segmento de obras de infraestrutura, como rodovias, ferrovias, construção pesada e telecomunicações. Depois veio a construção de edifícios, que engloba incorporações, empreendimentos imobiliários, edificações e a própria construção de prédios e, por fim, com recuo menor, os serviços especializados para a construção, que envolvem atividades de apoio, como acabamento e demolições.

 

A gerente da pesquisa, Synthia Santana, explica que as obras de infraestrutura estão relacionadas a grandes investimentos, e a queda observada nessa atividade, principalmente pelo setor público, tem implicações muito importantes na indústria da construção, como foi o caso da paralisação das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

 

A pesquisa também mostra que o número de pessoas ocupadas na indústria da construção caiu 1,7% em 2018 na comparação com o ano anterior, com perda de 31,5 mil postos de trabalho. Apesar da retração, foi a menor queda da mão de obra no setor desde 2014. O valor dos salários, retiradas e outras remunerações, em termos reais, também apresentou diminuição de 3,2% em relação a 2017.

 

Ao todo, 1,9 milhão de pessoas estavam empregadas na construção em dezembro de 2018. O setor contava com 124.522 empresas ativas, uma queda de 1,4% em relação a 2017. Já em valores nominais, a atividade totalizou R$ 278 bilhões, contando incorporações, obras e/ou serviços de construção. Desses, R$ 264 bilhões foram somente em obras e/ou serviços.

Últimas notícias
Economia

Carlos França afirma que entrada do Brasil na OCDE trará investimentos

O ministro das relações exteriores, Carlos França afirmou que a entrada do Brasil na OCDE vai ajudar a trazer investimentos estrangeiros e criar um ambiente de negócios favorável ao país.

Baixar arquivo
Saúde

Boletim da Fiocruz aponta aumento de casos de covid em todo o país

São 25 unidades da federação que apresentam ao menos uma macrorregião de saúde com nível de casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave considerado muito alto ou extremamente alto. 

 

Baixar arquivo
Saúde

Hospitais federais do RJ vão receber mais 1.700 profissionais de saúde

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro tem cobrado a realização de concursos públicos para substituir de forma definitiva os profissionais que atuam com contratos temporários.

Baixar arquivo
Política

Voo com 211 brasileiros deportados dos EUA chega ao Brasil

Coordenadoria da Infância e Juventude do TJ-MG informou que 90 crianças que desembarcaram do voo humanitário estavam acompanhadas por pelo menos um responsável com vínculo biológico e que nenhuma precisou ir para abrigos.

Baixar arquivo
Geral

Trotes para serviços de emergência viram multa no Acre

Nos últimos três anos, o Acre registrou mais de 15 mil trotes. E esse não é um problema que atinge somente os serviços de urgência no estado.

Baixar arquivo
Economia

Aumento de contaminações por covid desacelera crescimento do turismo

A onda da pandemia de covid-19 provocada pela variante ômicron fez com que destinos turísticos muito procurados no país tivessem redução na oferta de voos diários ao longo do mês de janeiro.

Baixar arquivo