Câmara aprova projeto para combater superendividamento de consumidores

Publicado em 12/05/2021 - 09:58 Por Lucas Pordeus León - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Ofertas enganosas na hora de contratar crédito podem estar com os dias contados. A Câmara dos Deputados aprovou um projeto com novas regras para renegociar dívidas e limites para a propaganda de crédito para prevenir e combater o superendividamento de consumidores. A matéria segue para apreciação do Senado Federal.

O projeto de lei prevê o direito a uma renegociação com todos os credores a partir da mediação de um juiz. Na audiência, o consumidor pode apresentar um plano com prazo máximo de 5 anos para quitação das dívidas. Deve ainda ser respeitado um mínimo existencial da renda do consumidor que não poderá ser comprometido com as dívidas.

Porém, há exceções. Não pode fazer parte da negociação as dívidas com garantia real, como um carro, além de financiamentos imobiliários, contratos de crédito rural e dívidas feitas sem intenção de pagar.

Após um pacto com os credores, um novo pedido de renegociação só poderá ser feito após 2 anos. Já os credores que não comparecerem às audiências sem justificativa terão as dívidas suspensas. Só receberão os valores após o consumidor quitar as parcelas com todos os outros credores que compareceram à negociação. O projeto ainda prevê que, na ausência de acordo, o juiz pode apresentar um plano compulsório de pagamento.

Para o relator do projeto na Câmara, deputado Franco Cartafina, a medida pode ajudar as famílias endividadas por causa da pandemia. 

Segundo uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, de abril deste ano, uma em cada quatro famílias brasileiras tem dívida em atraso e, em 56% dos casos, a dívida foi contraída durante a pandemia.

O projeto de lei em tramitação agora no Senado ainda permite que o consumidor desista de um empréstimo consignado em até 7 dias, sem precisar indicar o motivo, desde que devolva o crédito com eventuais juros.

Proíbe ofertas consideradas enganosas, como propaganda com expressões como “sem juros”, “gratuito” ou “taxa zero”. Também proíbe a oferta de crédito prometendo não consultar os serviços de proteção ao crédito ou sem avaliar a situação financeira do interessado.

O projeto de lei, se aprovado no Senado, precisa ainda passar pela sanção presidencial.

Edição: Leila Santos/ Marizete Cardoso

Últimas notícias
Economia

Empresas aéreas: Senado aprova gratuidade no despacho de bagagens

O Senado manteve a gratuidade para despachar bagagens de até 23 quilos em voos nacionais.  A proposta já passou pela Câmara, mas como houve modificações no texto, volta para uma nova análise dos deputados.

Baixar arquivo
Segurança

Polícia Civil do Pará investiga a morte da juíza Mônica Maria Andrade

A juíza foi encontrada morta dentro de um carro no estacionamento de um prédio em Belém, na manhã desta terça-feira.

Baixar arquivo
Justiça

TSE e Telegram formalizam parceria de enfrentamento a desinformação

O Tribunal Superior Eleitoral e o aplicativo de mensagens Telegram formalizaram nesta terça-feira parceria para o enfrentamento da desinformação.

Baixar arquivo
Política

70 anos: promulgada emenda que amplia idade de nomeação de magistrados

O Congresso Nacional promulgou nessa terça-feira a Emenda à Constituição que aumenta de 65 para 70 anos, a idade máxima para nomeação em tribunais superiores.

Baixar arquivo
Economia

Câmara decide manter isenção para indústria química e petroquímica

O fim da isenção estava previsto para ocorrer de forma gradual até 2025. Porém, no final do ano passado o governo editou uma Medida Provisória acabando com a isenção já neste ano. Com isso, o governo esperava aumentar a arrecadação em mais de  R$ 1,5 bilhão em três anos.

Baixar arquivo
Geral

Podcast Entrevista é Nacional: recompensa para os bons motoristas

A proposta da criação do Cadastro Positivo pretende incentivar o bom comportamento ao volante e deve ser implementada em breve, ouça os detalhes no podcast Entrevista é Nacional.

Baixar arquivo