Manifesto critica adoção de ensino remoto sem discussão com comunidade acadêmica

Universidades do Rio de Janeiro

Publicado em 25/06/2020 - 17:16 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

Professores de universidades públicas do Rio de Janeiro divulgaram um manifesto contra o ensino remoto, implementado sem discussão com a comunidade acadêmica. Na semana passada, os docentes receberam das universidades um convite para a apresentação de um curso online destinado à colocação em prática das aulas remotas. A apresentação, feita no formato de uma videoaula, foi oferecida pela Multirio (Empresa Municipal de Multimeios da Prefeitura do Rio). Mas acabou sendo interpretada como um atropelo. Apesar de o tema não ter sido colocado em pauta nas instâncias deliberativas das universidades, o convite trazia as logos das instituições que foram identificados como parceiras do curso.

 

O manifesto é assinado por sessões sindicais do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) e as representações de docentes das universidades públicas Uenf, UFF, Unirio, Uerj, além da Rede Faetec e Cefet.  No texto, os professores apontam que as próprias instituições têm quadros qualificados para propor e construir soluções de educação nesse momento de crise sanitária.

 

A professora Marina Tedesco, presidente da Associação dos Docentes da UFF, destaca que a comunidade universitária tem discutido há muitos anos o risco de propostas de educação à distância e o tema, mesmo trazido agora pela pandemia, com a discussão do ensino remoto, não é novidade. Ela cobra responsabilidade neste momento.

 

"Sabemos que a pandemia exige soluções. Tudo isso tem que ser decidido com calma, com democracia, com tempo, baseado em estudos. Então, como é que instituições, onde as instâncias colegiadas não aprovaram ainda - se é que vão aprovar - o ensino remoto emergencial estão assinando convocação para um curso que diz que o ensino remoto vai ser implementado? Isso tem que ser discutido nos conselhos universitários, nos conselhos de pesquisa e extensão e não informado para a comunidade acadêmia via um carta", opina.

 

No manifesto, os professores lembram que existe uma visão equivocada de que a universidade está parada durante a pandemia do novo coronavírus. O professor da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Frederico Irias, diretor da Associação dos Docentes da Uerj, reforça o papel das instituições inclusive para ajudar a sociedade a pensar no tema do acesso à educação.

 

"A universidade pública trabalha com o tripé ensino, pesquisa e extensão e o que parou no momento foi ensino. Então, queria realçar que a gente atua também com pesquisa e extensão e a gente está orientando, produzindo relatórios, estudando em casa, publicando artigos. A gente está numa fase ainda de realização de mapeamento e entendimento dos perfis das comunidades acadêmicas. Neste sentido, a gente precisa se debruçar mais sobre o estrago que vai ser a questão da exclusão digital para docentes e discentes. Que ninguém fique para trás nesse processo", pondera.

 

As universidades públicas do estado, que aparecem como parceiras na divulgação da videoaula, foram procuradas pela reportagem para se posicionarem sobre a discussão em relação as aulas remotas e se houve algum tipo de parceira firmada com a Multirio. A maioria das instituições respondeu que o tema ainda está sendo debatido e só duas se posicionaram claramente sobre a existência da parceria com a empresa de comunicação para a formação dos docentes.

 

A Universidade Federal do Norte Fluminense (Uenf) respondeu que todas as ações envolvendo atividades complementares estão sendo discutidas nos seus colegiados e que não firmou  contrato com a Multirio. A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) se manifestou no mesmo sentido, ressaltando que ainda está realizando discussões para a implantação do que chamou de Ensino Continuado Emergencial. A proposta final deve ser avaliada nos conselhos superiores na segunda quinzena de julho.

 

A Unirio respondeu que a universidade mantem três grupos de trabalho discutindo a continuidade das atividades acadêmicas e administrativas e que esses grupos tem até o dia 2 de julho para a elaboração de um plano de continuidade, que será submetido ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. Já a UFF disse que desde o início da pandemia criou um Grupo de Trabalho para analisar a situação geral de emergência sanitária e estão sendo discutidos planos de contingência no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da universidade.

 

A Uerj reforçou que não haverá flexibilização da suspensão das atividades presenciais enquanto permanecer a necessidade de isolamento social e que está realizando um levantamento sobre as condições de acesso às tecnologias digitais de informação entre seus alunos. A UFRJ, a Rede Faetec e o Cefet não responderam até o fechamento desta reportagem.

 

 

A Empresa Multirio disse, por meio da assessoria de imprensa, que vem atuando em caráter de cooperação com instituições públicas de ensino superior a fim de colaborar com os professores no aprimoramento técnico para a preparação de aulas remotas. Segundo a Multirio, a adesão a esse aperfeiçoamento se dará de forma espontânea e o corpo docente das instituições está sendo ouvido quanto às suas propostas para o projeto.

Últimas notícias
Saúde

RJ: Casos de dengue aumentam 177% nos cinco primeiros meses deste ano

A capital fluminense concentra a maioria dos registros da doença, mas as regiões Noroeste e Norte apresentam alta transmissão, de acordo a Secretaria de Estado de Saúde.

Baixar arquivo
Economia

Ministério de Minas e Energia diz que estoque de diesel dura 38 dias

Se a importação desse combustível fosse suspensa, seria possível atender à demanda durante 38 dias, com esses estoques e a produção nacional.

Baixar arquivo
Economia

Eletrobras lança oferta de ações em mais um passo para privatização

A Eletrobras apresentou os documentos necessários para realizar a operação, com a qual a estatal espera movimentar mais de R$ 30 bilhões.

Baixar arquivo
Cultura

Começa o São João no Maranhão, a previsão é de 60 dias de festa

Os últimos meses foram de ensaios, muito trabalho nos ateliês dos grupos de Bumba Meu Boi e outras manifestações culturais do Maranhão.

Baixar arquivo
Economia

Pesquisa: mais de 20 milhões de pessoas poderiam trabalhar remotamente

Pesquisa do Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, divulgada nesta sexta-feira, estima que mais de 20 milhões de trabalhadores no Brasil estão em ocupações que poderiam ser realizadas remotamente.

Baixar arquivo
Geral

Brasil já registra 17 mil divórcios em cartórios neste ano

No ano passado, foram concluídas mais de 80 mil separações consensuais. Este é o maior número desde 2007, quando uma lei federal permitiu a formalização do divórcio diretamente em cartórios.

Baixar arquivo