Rio de Janeiro registra 202 mil casos de Covid-19 e 15 mil mortos

Secretaria de Saúde diz que índices estão em queda

Publicado em quinta-feira, 20 Agosto, 2020 - 16:51 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

Os dados da Covid-19 nesta semana no Rio de Janeiro indicam que perdemos para a doença cerca de 15 mil pessoas.  É como se uma cidade inteira, do tamanho de Sumidouro, no interior do estado, literalmente sumisse do mapa. O número também é praticamente o mesmo das populações de Natividade, Cambuci e Italva, outros municípios fluminenses.

Os casos confirmados da doença já ultrapassaram a marca de 202 mil. Mas, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o risco da infecção pelo novo coronavírus está diminuindo o e os índices apresentam queda sustentada.

Atrás dos números, no entanto, estão realidades distintas e prognósticos ainda nebulosos.

A pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz Margareth Dalcomo explica que assim como em outras partes do país, tudo indica que o Rio já passou pelo pico epidêmico, e permanece em um platô ainda elevado.

Dados de uma plataforma independente desenvolvida por jornalistas com base nas informações das prefeituras, o painel Covid-19 Norte e Noroeste Fluminense, apontaram um record de casos nesta região do estado na semana passada, comparativamente à semana anterior, com destaque para os municípios de Campos e Itaperuna.

A Secretaria Estadual de Saúde, contesta essa análise de aumento, reafirmando que há uma queda sustentada, indicando essas áreas na bandeira amarela, ou seja, de baixo risco.

Independente do cálculo, Margareth Dalcomo, alerta que a situação ainda exige muita precaução e as medidas de abertura, como a dos centros culturais a partir desta quinta-feira (20), e das escolas em setembro, podem agravar o quadro.

A pesquisadora reforça, no entanto, que ainda é prematuro afirmar com certeza se essa imunidade será atingida, até pela dimensão e multiplicidade de realidades dentro do mesmo território do Rio de Janeiro.

Theresa Williamson, planejadora urbana e diretora executiva da Organização Comunidades Catalisadoras, que coordena o Painel Unificador das favelas, um esforço coletivo de reunir informações sobre o comportamento das comunidades do Rio na pandemia, destaca como mais preocupante a falta de políticas direcionadas para estes locais.

O painel da Secretaria Estadual de Saúde, com indicadores sobre a pandemia, classificou nesta semana sete das nove regiões do Rio de Janeiro com a bandeira amarela, de baixo risco. Apenas duas estão com bandeira laranja, que aponta o risco moderado: o Vale do Paraíba e o centro-sul. De acordo com essa classificação, o nível de risco para o estado, como um todo, é baixo.

Edição: Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Direitos Humanos

Começa a Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

Proteger de forma integral crianças e adolescentes, garantindo a diversidade e o enfrentamento à violência: esse é o tema da 11º Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. O evento vai até o dia 10 de dezembro, e tem transmissão aberta nas redes sociais do Conanda.

Baixar arquivo
Justiça

STF decide que data de concurso pode ser alterada por motivo religioso

Após três sessões de julgamento, por 7 votos a 4, a Corte entendeu que as provas podem ser remarcadas para outra data que não conste no edital, desde que a mudança não cause prejuízos para a administração pública e à preservação da igualdade na seleção dos candidatos.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Prefeitura do Rio terá que criar repúblicas para jovens não adotados

Decisão é resultado de uma ação da Defensoria Pública do estado. Medida vai contemplar jovens que alcançam a maioridade antes de serem adotados ou não têm mais vínculo com suas famílias

Baixar arquivo
Geral

Itaí, cidade de 39 das 41 vítimas de acidente em SP, tem luto coletivo

O velório das vítimas, a maioria jovem, foi coletivo e ocupou dois ginásios de esportes. Cada família teve em média duas horas para se despedir das vítimas. Os sepultamentos duraram a madrugada inteira e terminaram na tarde dessa quinta-feira.

Baixar arquivo
Economia

Bolsonaro comemora criação de empregos apesar da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro disse estar otimista para fechar o ano no positivo em relação à criação de empregos formais.

Baixar arquivo