UFRJ aponta que preço de passagens de ônibus está desatualizado no Rio

Tarifa ficaria entre R$ 8 e R$ 15, dependendo do consórcio analisado

Publicado em 31/05/2022 - 17:17 Por Tatiana Alves - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

O preço das passagens dos ônibus municipais está desatualizado na capital fluminense. A conclusão é de um estudo feito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e apresentado, nesta terça-feira (31), na Câmara Municipal. Segundo a análise, a tarifa ficaria entre R$ 8 e R$ 15, dependendo do consórcio analisado, um aumento de pelo menos 197%. 

Segundo o levantamento, que englobou visitas de campo e análise de notas fiscais e de dados operacionais das empresas de ônibus, o incremento no valor da passagem seria o mínimo necessário para reequilibrar as contas do setor ainda neste ano. Porém, a pesquisa ressalva que um aumento desse porte reduziria ainda mais a renda dos usuários do transporte.

Uma das falhas verificadas na pesquisa se refere ao número de passageiros pagantes nas linhas operadas por quatro consórcios na cidade do Rio de Janeiro, que vem sofrendo queda desde 2010, com declínio mais acentuado em 2020, ano em que o distanciamento social provocado pela pandemia de covid diminuiu de forma severa a circulação das pessoas nas ruas. 

Outro aspecto é a falta de renovação da frota nos últimos anos. Em 2014, a idade média dos veículos era de dois anos, contra 8 anos em 2020.  

O responsável pelo estudo, Marcelino Aurélio Vieira, aponta quais poderiam ser os próximos passos.

"Não aumentar a tarifa mais que a inflação, realizar estudos de viabilidade buscando utilizar as linhas (temos tempo até o próximo edital). Acompanhar o custo por quilômetro dos consórcios com a memória de cálculo ao longo dos anos, anotando as variáveis que serão utilizadas para determinar o custo da tarifa. Aumentar a fiscalização e acompanhar o impacto do transporte por aplicativo", afirmou.

Outra solução sugerida pelo estudo para melhoria do sistema de ônibus, seriam subsídios municipais aos consórcios. Em um acordo já firmado pela prefeitura, foi estipulado um subsídio de R$ 308 milhões que serão pagos em 2022 às empresas. A UFRJ também recomenda que o município realize levantamento específico para identificar fontes de receita e determinar os trâmites para a liberação de recursos ao setor.

Edição: Vitória Elizabeth/ Renata Batista

Últimas notícias
Economia

Setor de serviços cresce 0,7% na passagem de maio para junho, diz IBGE

Com isso, se encontra 7,5% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020, mas ainda 3,2% abaixo do ponto mais alto, conquistado em novembro de 2014.

Baixar arquivo
Saúde

Ingerir álcool durante a gravidez pode causar síndrome alcoólica fetal

Mesmo que seja baixa a quantidade de álcool ingerida pela futura mãe, ainda existe o risco da doença,  que pode trazer consequências gravíssimas para o feto e recém-nascidos.

Baixar arquivo
Economia

Quase metade dos brasileiros fazem "bicos" para ampliar renda

Pesquisa aponta que quase q metade dos brasileiros com 16 anos de idade ou mais precisaram fazer atividades extras nos últimos 12 meses para complementar sua renda.

Baixar arquivo
Saúde

Maranhão registra primeiro caso de varíola dos macacos

O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável.

Baixar arquivo
Economia

IBGE prevê safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022

O Brasil deve produzir, em julho, 263 milhões e 400 mil toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. Um recorde! A estimativa está no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta quinta-feira pelo IBGE.

Baixar arquivo