História Hoje: Massacre de Shaperville completa 56 anos

Publicado em 21/03/2016 - 07:30 Por Apresentação Gláucia Gomes - Brasília

No dia 21 de março de 1960, na favela de Sharpeville, na África do Sul, milhares de pessoas marchavam contra a obrigatoriedade das crianças falarem a língua “Afrikander” nas escolas e a lei do passe, um documento que detalhava onde os negros poderiam ir. Caso eles não apresentassem o passe, eram sumariamente detidos.

 

O protesto pacífico foi reprimido pela polícia sul-africana com arma de fogo: 69 pessoas foram assassinadas e cerca de 180 ficaram feridas. Uma onda de horror abalou o mundo. Era a segregação total. O fato ficou marcado como o Massacre de Sharpeville.

 

Neste período na África do Sul, as pessoas só podiam circular nos bairros que lhes eram permitidos segundo a cor da pele. Frequentar somente as escolas que lhe eram abertas. Além de só poderem ir nas igrejas, supermercados e banheiros segundo a cor que constasse nos seus “passaportes individuais de utilização dentro do país”.

 

Depois desse dia, a opinião pública mundial passou a olhar com mais atenção para o regime do apartheid. Em 1966, as Nações Unidas, proclamou o dia 21 de março como Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, com a medida a Assembleia Geral quis honrar a memória das vítimas do massacre e condenar o racismo.

 

Posteriormente, o regime de apartheid da África do Sul foi desmantelado. As leis e práticas racistas foram abolidas em muitos países. A ONU criou uma estrutura internacional para lutar contra o racismo baseada na Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial.

 

Atualmente, a Convenção busca a ratificação universal, mas, apesar disso, em muitas regiões, inúmeros indivíduos, comunidades e sociedades sofrem a injustiça e o estigma causados pelo racismo.

 

Vale recordar que o primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma que “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos”.

 

As Nações Unidas destacam que o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial n lembra a responsabilidade coletiva de promover e proteger este ideal. E que todos devem redobrar os esforços para pôr fim à discriminação e xenofobia, onde quer que ocorram.

 

Pesquisa e redação Beatriz Arcoverde.

Sonoplastia Messias Melo.

Últimas notícias
Justiça

Caso Henry Borel: acusada pela morte do filho, Monique volta à prisão

Ela deve permanecer, por decisão da Justiça, até que sejam apuradas as supostas ameaças que alegou ter recebido no presídio onde estava antes de ser autorizada a prisão domiciliar. 

Baixar arquivo
Geral

Governo faz acordo com WhatsApp para alertas de desastres naturais

O Ministério do Desenvolvimento Regional assinou um acordo de cooperação técnica nesta quarta-feira (29) com o Whatsapp para emitir alertas de desastres à população em todo o país.

Baixar arquivo
Cultura

Arte Clube: cineasta Vladimir Carvalho é tema de documentário

De acordo com Márcio de Andrade, o documentário promove um diálogo de ideias e imagens entre o cinema de Vladimir Carvalho, e o irmão dele, o fotógrafo de cinema e diretor Walter Carvalho.

Baixar arquivo
Saúde

Covid-19 mata duas crianças menores de 5 anos por dia no Brasil

Segundo a Fiocruz, enquanto no Mato Grosso a proporção de mortes em 2020 e 2021 ficou em 0,12 a cada mil nascidos vivos, no Sergipe a taxa sobe para 1,24: dez vezes mais.

Baixar arquivo
Geral

INSS detalha procedimentos para atendimento presencial

Algumas medidas são voltadas à identificação pessoal, especificando quais são os documentos oficiais a serem apresentados, bem como de algumas exceções quanto às características dos documentos.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Rio de Janeiro terá 1º distrito de baixa emissão de carbono do Brasil

A criação do Distrito atende ao compromisso do município com o C40, grupo de cidades internacionais, entre elas Milão, na Itália, e Londres, na Inglaterra, comprometidas com a questão ambiental.

Baixar arquivo