Conheça as vacinas em estudo no Brasil contra a covid-19

Em uma série de reportagens, mostraremos seis candidatas em teste

Publicado em 01/11/2021 - 14:05 Por Victor Ribeiro - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Faz nove meses que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso das primeiras vacinas contra covid-19 no país: a AstraZeneca e a CoronaVac. Depois, a agência reguladora permitiu o uso da Pfizer e da Janssen.

Um dos critérios que ajudam um imunizante a obter o registro sanitário, ou a autorização de uso emergencial, é o fato de ele ter passado por testes em voluntários brasileiros. Por isso, reunimos, em uma série de reportagens, seis candidatas a vacina testadas no Brasil - e que podem chegar aos nossos braços nos próximos meses.

Nesta primeira matéria, contamos que três vacinas são produzidas a partir de engenharia genética. Elas são feitas com uso de DNA ou RNA do SARS-CoV-2, o novo coronavírus.

A infectologista e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia Tânia Chaves explica como esse tipo de imunizante funciona.

Uma dessas candidatas a vacina é da Inovio Pharmaceuticals e foi testada em 350 voluntários, com 18 anos, ou mais, nos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Ela usa uma técnica chamada DNA com eletroporação. Ou seja, o imunizante cria um campo elétrico que enfraquece a membrana, a capa que envolve o coronavírus, para ficar mais fácil destruí-lo.

As outras duas usam tecnologia baseada em RNA, que carrega informações genéticas da proteína do vírus causador da covid-19, o Sars-CoV-2. Uma é de RNA mensageiro, desenvolvida pela farmacêutica Sanofi Pasteur - a mesma da vacina contra o vírus influenza, da gripe - e testada em 150 voluntários, com 18 anos, ou mais, na Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

A outra usa RNA autorreplicante e foi desenvolvida pelo laboratório HDT. No Brasil, ela é testada em parceria com o Senai Cimatec, da Bahia, e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, por meio de um acordo de transferência de tecnologia. É o único dos seis estudos em curso com esse modelo de parceria. Os 90 voluntários vivem na Bahia e têm de 18 a 55 anos.

A infectologista Tânia Chaves destaca que essas vacinas têm alta eficácia.

As primeiras vacinas contra covid-19 foram aplicadas em tempo recorde, no começo do mês de dezembro, nos Estados Unidos e na Inglaterra - apenas nove meses após o começo da pandemia. Algumas pessoas até ficaram desconfiadas com essa rapidez, mas existe uma explicação: a tecnologia está do nosso lado.

Eram doses do imunizante da Pfizer, que usa a técnica do RNA mensageiro, também baseada em código genético.

O infectologista André Ricardo da Silva, que integra o Grupo de Trabalho Covid, da Universidade Federal Fluminense, afirmou que foi o uso dessa tecnologia que permitiu o desenvolvimento tão rápido.

Essas vacinas estão em fase de testes em voluntários e ainda não pediram à Anvisa autorização para uso na população em geral.

Na reportagem de amanhã (2), vamos falar sobre novos imunizantes contra a covid-19 desenvolvidos usando vírus inativado, ou a proteína S do coronavírus.

 

Edição: Roberto Piza/ Fabíola Sinimbú

Últimas notícias
Educação

Piso salarial dos professores aumenta 33% e passa para R$ 3.845

O piso salarial dos professores da rede pública vai passar de R$ 2.886 para R$ 3.845, um aumento de 33,24%. Esse é o valor mínimo que o profissional deve receber no país.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Mais de 1.600 pessoas foram resgatadas de trabalho escravo em 2021

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira (27), o Ministério Público do Trabalho informou que recebeu 1.415 denúncias de trabalho escravo, aliciamento e tráfico de trabalhadores no ano passado, número 70% maior que em 2020.  

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Rio de Janeiro registra 40ºC nesta quinta-feira (27)

Para os próximos dias a previsão é que as temperaturas fiquem um pouco mais amenas devido a chegada de uma frente fria, nesta sexta-feira (28).

Baixar arquivo
Esportes

Campeão paulista, São Paulo inicia defesa de título contra Guarani

Tricolor deve promover as estreias de boa parte dos reforços de 2022

 

Baixar arquivo
Saúde

Covid: 13% do esperado para faixa de 5 a 11 anos foi vacinada no Rio

Até esta quinta-feira (27), pouco mais de 72 mil crianças entre 5 e 11 anos foram vacinadas contra a covid, bem abaixo da expectativa da prefeitura em alcançar pelo menos 90% de imunização. Os dados são do Painel Rio Covid-19.

Baixar arquivo