Senado aprova MP que muda regras do Fies

Congresso Nacional

Publicado em 09/11/2017 - 07:44 Por Graziele Bezerra - Brasília

O Senado aprovou um projeto que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a fazer cirurgia reparadora da mama, devido a um câncer, e a medida provisória que altera as regras do Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil.


Com as mudanças no Fies a expectativa do Ministério da Educação é que 310 mil vagas sejam destinadas ao programa em 2018, sendo 100 mil para estudantes de baixa renda.


Confira os detalhes na matéria de Graziele Bezerra.


* A participação da repórter foi ao vivo.

Últimas notícias
Saúde

Ficar sentado por muito tempo é um dos grandes vilões para o coração

Estudos recentes constatam a importância do movimento para a saúde cardiovascular. Idosos que ficaram sentados 30 minutos a menos, todos os dias, diminuíram a pressão arterial.

Baixar arquivo
Eleições 2020

Barco com corpos à deriva é encontrado no litoral do Pará

O inquérito está sob a responsabilidade da Polícia Federal no Pará que enviou equipes para a região.  

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Ministério da Saúde inicia Mês de Vacinação dos Povos Indígenas

O Ministério da Saúde inicia neste sábado, 13, o mês de vacinação dos povos indígenas. A proposta é intensificar a imunização em territórios indígenas, ampliando a cobertura vacinal, sobretudo em áreas de difícil acesso.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Ministério dos Esportes condena atos de racismo a alunos do DF

O Ministério dos Esportes condenou, neste sábado, os ataques racistas sofridos por estudantes no Distrito Federal. Alunos foram chamados de “macaco”, “filho de empregada” e “pobrinho” durante uma partida de futebol de salão entre colégios de Brasília. O caso aconteceu em três de abril e veio à tona, nesta semana.

Baixar arquivo
Internacional

Lula visitará Colômbia para fortalecer laços comerciais

A Colômbia é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Governo garante amparo a gestantes em cargos públicos provisórios

Mulheres que trabalham na administração pública em cargo em comissão ou são contratadas por tempo determinado têm garantido o direito à licença-maternidade e à estabilidade provisória.

Baixar arquivo