Posse presidencial movimenta rotina da capital federal

Brasília

Publicado em 01/01/2019 - 20:55 Por Victor Ribeiro - Brasília

A alegria de eleger um presidente da República e a esperança de construir, pelo voto, um país melhor, levaram milhares de pessoas à Esplanada dos Ministérios nessa terça-feira (1º), em Brasília.

 

Uma delas foi a secretária escolar Marilene Leandro.

 

Marilene contou o que espera que seja prioridade na gestão de Bolsonaro.

 

Parte do público acompanhou a movimentação de longe, na plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto, no centro da capital federal.

 

De lá, a vista da Esplanada dos Ministérios é panorâmica.

 

A pequena Ester Ribeiro Leandro, de nove anos, foi quem convenceu a família a assistir à posse.

 

Ela pediu que o novo presidente cuide das crianças mais pobres.

 

Quem viu a posse mais de perto, precisou passar por quatro barreiras com detector de metais e onde alguns objetos foram retidos. Fiscais e policiais não permitiram a entrada de materiais que pudessem causar ferimentos ou explosões. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, o volume de itens apreendidos foi pequeno.

 

E não adiantou chegar de madrugada, como Alex Jaques, que saiu no sábado (29) de Recife, em Pernambuco, e chegou à Esplanada dos Ministérios por volta de uma hora da manhã. A polícia só começou a deixar o público entrar às 8 horas.

 

De acordo com o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, 115 mil pessoas estavam na Esplanada dos Ministérios no momento mais movimentado da cerimônia.

 

O recorde de público foi em 2003, quando a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mobilizou 200 mil pessoas.

 

Até o fechamento desta reportagem, a Secretaria de Segurança do Distrito Federal não havia registrado nenhuma ocorrência grave e a volta para casa foi tranquila.

 

As linhas de ônibus que partem da Rodoviária do Plano Piloto tiveram reforço e o metrô funcionou até as 20h. 


Com colaboração de Sayonara Moreno, da Rádio Nacional, em Brasília, Victor Ribeiro.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Governo vai expandir possibilidade de sinal de rádio FM

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, assinou nesta quinta-feira (13) uma portaria, junto com o presidente Jair Bolsonaro, para regularizar o serviço de retransmissão de rádio.

Baixar arquivo
Saúde

Rio registra aumento de leitos hospitalares pela 1ª vez em 10 anos

Após a perda de 16 mil leitos hospitalares, apenas entre 2011 e 2019, o Rio de Janeiro viu, em 2020, pela primeira vez, aumento no registro de vagas nas unidades de saúde.

Baixar arquivo
Política

Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Estudante do oitavo ano do ensino fundamental em Brasília, Arthur Cardoso relata os desafios que tem enfrentado desde que as escolas fecharam, por consequência da pandemia do novo coronavírus.
 

Baixar arquivo
Saúde

Planos de saúde devem cobrir teste rápido de Covid-19

Os planos de saúde são obrigados a cobrir os testes sorológicos para a Covid-19. A medida foi aprovada pela Diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por unanimidade, em reunião nesta quinta-feira (13).

Baixar arquivo
Economia

Governo lança aplicativo eSocial Doméstico para empregadores

A partir de agora o eSocial  tem aplicativo para celulares. Com a medida, empregadores poderão realizar registro do empregado e gerenciamento da folha de pagamento pelo celular.

Baixar arquivo
Política

Saúde diz que usou 48% dos recursos destinados ao combate à pandemia

O Ministério da Saúde gastou 48% dos recursos destinados exclusivamente para o combate à pandemia da Covid-19, informou o ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (13) no Congresso Nacional.

Baixar arquivo