Alerj aprova extinção das UPPs; projeto vai à nova votação

Rio de Janeiro

Publicado em 20/02/2019 - 11:17 Por Ícaro Matos - Rio de Janeiro

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou nessa terça-feira (19), em primeiro turno, o projeto de lei que prevê a extinção das UPPs, as Unidades de Polícia Pacificadora.

 

O texto foi aprovado em votação simbólica, mas ainda será submetido a nova apreciação pelo plenário da Casa, em data ainda a ser definida.

 

Se for novamente aprovada, a proposta seguirá para o governador do Rio, Wilson Witzel, que poderá sancionar ou vetar a medida.

 

O texto prevê que os policiais militares que atuam nas UPPs sejam redistribuídos entre os batalhões da Polícia Militar (PM) de forma igual, cabendo ao comandante-geral da corporação definir as áreas de lotação, de acordo com os índices de criminalidade de cada local.

 

O autor do projeto, deputado Rosenverg Reis, do MDB, justificou a proposta afirmando que, após dez anos de funcionamento, o Programa de Polícia Pacificadora já dá sinais de esgotamento e não apresenta mais bom desempenho.

 

Ele argumenta que a violência voltou a ser rotina em boa parte das comunidades com UPP e que a extinção do programa vai possibilitar o reforço do policiamento ostensivo no estado.

 

Em maio do ano passado, o Gabinete de Intervenção Federal na Segurança Pública do Rio de janeiro já tinha dado início a um projeto de reformulação do Programa de Polícia Pacificadora. A intenção era acabar com 19 das 38 UPPs existentes, onde, de acordo com estudo da própria Polícia Militar, as forças de segurança já tinham perdido o controle das comunidades.

 

O Programa de Polícia Pacificadora foi lançado em dezembro de 2008 e anunciado como a principal política de segurança pública do governo de Sérgio Cabral.

 

O objetivo da medida era retomar o controle de comunidades dominadas pelo crime organizado, principalmente por traficantes de drogas, e que apresentavam altos índices de violência.

 

A primeira Unidade de Polícia Pacificadora foi instalada no Morro Santa Marta, em Botafogo, na zona sul do Rio. Depois, o programa chegou a mais 37 comunidades da região metropolitana, empregando um efetivo total de cerca de 9 mil policiais.

Últimas notícias
Economia

Carlos França afirma que entrada do Brasil na OCDE trará investimentos

O ministro das relações exteriores, Carlos França afirmou que a entrada do Brasil na OCDE vai ajudar a trazer investimentos estrangeiros e criar um ambiente de negócios favorável ao país.

Baixar arquivo
Saúde

Boletim da Fiocruz aponta aumento de casos de covid em todo o país

São 25 unidades da federação que apresentam ao menos uma macrorregião de saúde com nível de casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave considerado muito alto ou extremamente alto. 

 

Baixar arquivo
Saúde

Hospitais federais do RJ vão receber mais 1.700 profissionais de saúde

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro tem cobrado a realização de concursos públicos para substituir de forma definitiva os profissionais que atuam com contratos temporários.

Baixar arquivo
Política

Voo com 211 brasileiros deportados dos EUA chega ao Brasil

Coordenadoria da Infância e Juventude do TJ-MG informou que 90 crianças que desembarcaram do voo humanitário estavam acompanhadas por pelo menos um responsável com vínculo biológico e que nenhuma precisou ir para abrigos.

Baixar arquivo
Geral

Trotes para serviços de emergência viram multa no Acre

Nos últimos três anos, o Acre registrou mais de 15 mil trotes. E esse não é um problema que atinge somente os serviços de urgência no estado.

Baixar arquivo
Economia

Aumento de contaminações por covid desacelera crescimento do turismo

A onda da pandemia de covid-19 provocada pela variante ômicron fez com que destinos turísticos muito procurados no país tivessem redução na oferta de voos diários ao longo do mês de janeiro.

Baixar arquivo